header top bar

section content

Troca de tiros em agência dos correios na região de Sousa deixa dois feridos. Fotos!

Na operação foram acionadas as Polícias Militar das vizinhas cidades da Paraíba e do Rio Grande do Norte

Por

30/04/2015 às 11h03

Vigilante da agência dos Correios sendo socorrido pelo Samu (Foto: Charley Garrido)

Dois bandidos armados invadiram na manhã desta quinta-feira (30) a agência dos Correios da cidade de São Francisco, no Sertão da Paraíba. Várias pessoas estavam no local quando os bandidos trocaram tiros com o vigilante.

De acordo com informações da Polícia Militar, os acusados chegaram ao local e o segurança ao perceber que havia atitude suspeita sacou a arma e efetuou disparos contra os bandidos que em seguida revidaram e atirando contra o segurança, José Manoel da Silva, de 45 anos, que no momento ficou sem munição, fora rendido, agredido e ameaçado de morte. Na ocasião, os bandidos mandaram o segurança agradecer a Deus por não ter morrido. 

 

No momento do tiroteio a agência do Correios estava com várias pessoas, o popular Ivanildo Leonel da Silva ficou ferido após ser atingido com os estilhaços de vidro. Durante a ação os acusados pediram para que as pessoas ficassem calmas e olhando para baixo. Em seguida, a dupla pediu para os funcionários entregarem todo o dinheiro e em seguida fugiram tomando rumo ignorado. 

 

Na operação foram acionadas as Polícias Militar das vizinhas cidades da Paraíba e do Rio Grande do Norte que saíram diligências com o intuito de localizar e prender os assaltantes.   

DIÁRIO DO SERTÃO 

Tags:

Recomendado para você pelo google

RELAÇÃO COM EMPRESÁRIOS

VÍDEO: Prefeito de Cajazeiras não descarta fazer uma reforma tributária e manda recado para ‘algozes’

SERVIÇO MILITAR

VÍDEO: Quase 100 novos atiradores são incorporados ao Tiro de Guerra de Cajazeiras durante solenidade

TRIMESTRE CHUVOSO

VÍDEO: Açude Grande de Cajazeiras sangra pela primeira vez em 2019 e traz esperança para a população

ELITISMO?

VÍDEO: Escolas federais têm segurança, mas as outras são ‘destratadas’, afirma diretor em Cajazeiras