header top bar

section content

ABSURDO! Mulher é espancada e tem região íntima cortada pelo marido; vítima terá que fazer cirurgia de reconstrução

Vítima está internada e aguarda cirurgia de reconstrução; homem se matou após cometer o crime

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

17/02/2017 às 10h28 • atualizado em 16/02/2017 às 20h35

Mulher terá que fazer cirurgia de reconstrução (Foto: RecordTV Minas)

Um serralheiro, de 41 anos, agrediu violentamente a mulher dele e feriu o órgão genital dela. O caso aconteceu em Santa Vitória, no Triângulo Mineiro. Ele se matou após cometer o crime.

A polícia informou que ele teria levado, à força, a mulher para um canavial que fica na região. Chegando no local, ele teria agredido ela. Durante a sessão de espancamento, o suspeito chegou a cortar a vagina da mulher.

A vítima foi socorrida e levada para o hospital da cidade. Ela passou por uma cirurgia para conter o sangramento, mas precisou ser transferida para o Hospital das Clínicas da Ufu (Universidade Federal de Uberlândia), em Uberlândia, a 210 quilômetros de Santa Vitória. De acordo com a equipe médica, a unidade de saúde que realizou o primeiro atendimento não possui estrutura para realizar uma cirurgia de reconstrução.

Momentos após cometer o crime, ele se matou com um tiro de espingarda. Testemunhas contaram à polícia que o casal não estava vivendo bem há algum tempo.

A vítima segue internada e espera o procedimento de reconstrução do órgão genital. Os médicos informaram que a unidade está preparada para fazer a cirurgia, mas que é necessário aguardar para analisar o melhor tratamento para a paciente.

R7

Tags:
NA TELA DA TV DIÁRIO

Diário Esportivo traz tudo sobre a 2ª rodada do Paraibano; Tático narra gol da vitória do Atlético

SE CUIDE!

VÍDEO: No Janeiro Branco, Diversidade em Foco promove uma ‘Conversa sobre suicídio e como evitá-lo?’

RECONHECIMENTO

Prefeito de Sousa garante ajuda mensal ao médico cubano: “Eu irei ajudá-lo em todos os momentos”

"MERECIA MAIS"

VÍDEO: Comentarista critica falta de prestígio de Sousa com o Governo do Estado nas nomeações de cargos