header top bar

section content

Mãe pede desesperada ajuda para realização de cirurgia de filho que tem caroço no olho. “Pode perder a visão”

A estudante de enfermagem, Daniela Evaristo que é a mãe do garoto disse que está muito aflita com a situação, porém confiante na cura da criança. Confira!

Por

29/03/2015 às 15h50

Mãe pede ajuda para cirurgia de Rafael

Uma campanha está sendo feita nas Redes Sociais em prol do menino de Campina Grande, Rafael Silva Evaristo Barros. Ele tem oito anos de idade e está precisando fazer urgentemente uma cirurgia que custa cerca de 20 mil reais para retirada de um caroço de grandes proporções que está a atrás do seu olho direito. 

Em contato com a reportagem do Portal Diário do Sertão, a estudante de enfermagem, Daniela Evaristo que é a mãe do garoto disse que está muito aflita com a situação, porém confiante na cura da criança. “Ele é um menino adorável, todos gostam dele, ele tem que fazer essa cirurgia de forma imediata e não temos mais dinheiro, pois já gastamos tudo que tínhamos, o SUS não cobre essa operação”.

Ela conta que a cirurgia de Rafael está marcada para essa segunda-feira (30), no Instituto Visão em Recife, Pernambuco e custará em média 20 mil reais. “Peço ajuda de todos, a médica que está atendendo o meu filho, disse que vai dá tudo certo e estou confiante nesta cura”.

Daniela confidenciou a nossa reportagem que o pai de Rafael, faleceu a quase 8 anos, onde segundo ela, o garoto não teve a oportunidade de conhece-lo. 

Quem puder ajudar, entrar em contato pelo telefone: (83) 8890-2496. 

Na postagem abaixo mais detalhes!!!

DIÁRIO DO SERTÃO 

Tags:

Recomendado para você pelo google

PROBLEMA SOCIAL

VÍDEO: Conselho Tutelar notifica pais por causa de crianças pedindo nos semáforos de Cajazeiras

OPÇÃO RELIGIOSA

VÍDEO: Retiro de Carnaval de Pombal anuncia programação da 35° edição com atrações a nível nacional

CAMPEONATO PARAIBANO

VÍDEO: Wesley, Éder Paulista e o técnico Ederson Araújo aprovam estreia do Atlético e elogiam a torcida

FALTA DE COMODIDADE

Professora cobra fiscalização na ocupação de calçadas por comerciantes que interfere a mobilidade urbana