header top bar

section content

Luiza Brunet: ‘Pior que ser agredida é ser desacreditada’

A atriz fez um relato do sofrimento pelo qual passou

Por Notícias ao Minuto

10/03/2018 às 08h00 • atualizado em 09/03/2018 às 11h59

© AgNews

Vítima de agressão física em 2016 pelo então marido, Lírio Parisotto, Luiza Brunet desabafou sobre outro tipo de agressão que sofreu com o desenrolar das investigações a que foi submetida: a de ser desacreditada. Em conversa com O Estado de S. Paulo, a ex-modelo relembrou o caso.

“Pior que ser agredida é ser desacreditada, principalmente pelas mulheres. A denúncia foi feita, ficou esclarecido que houve violência, o agressor foi condenado, e as pessoas continuaram a duvidar. Me acusavam de uma grande armação para tirar benefício. Essa é a pior parte. A dor física passa mas a dor moral é muito agressiva. Você adoece porque é muito triste ficar exposta, principalmente nas redes sociais, que hoje em dia, são usadas como instrumento de difamação. Sem dó nem piedade”, afirmou.

Luiza disse, ainda, que as mulheres foram as principais agressoras. “Um grupo grande que se fortalece, vai ganhando voz e passando de todos os limites. Hoje exijo meus direitos. Não vou perdoar, quero que paguem por isso. Elas não tiveram coragem de falar? Então, que tenham coragem para enfrentar na justiça o que elas vêm fazendo”, sentenciou a atriz.

Fonte: Notícias ao Minuto - https://www.noticiasaominuto.com.br/fama/560398/luiza-brunet-pior-que-ser-agredida-e-ser-desacreditada

Recomendado para você pelo google

DIRETO AO PONTO

VÍDEO: Se reforma da Previdência não cortar privilégios, sociedade deve ‘gritar’ contra ela, diz padre

INFRAESTRUTURA

VÍDEO: Chuvas destroem ruas de Cajazeiras que não são pavimentadas e moradores cobram ação da Prefeitura

VETERANO DA MÚSICA

VÍDEO: Em Cajazeiras, cantor de renome nacional critica sertanejo universitário: “Virou uma baderna”

COBRA REAJUSTE DE 2018

VÍDEO: Sindicalista elogia Zé Aldemir por salário de professores, mas diz que felicidade é ‘entre aspas’