header top bar

section content

VÍDEO: Mesmo se recuperando de virose, Eduarda Brasil passa para a próxima fase do The Voice Kids

A paraibana de São José de Piranhas se classificou no terceiro dia de shows ao vivo, nesse domingo, cantando "Isso Aqui Tá Bom Demais", sucesso de Dominguinhos

Por Jocivan Pinheiro

25/03/2018 às 15h45 • atualizado em 25/03/2018 às 15h47

Mesmo se recuperando de uma virose, a paraibana Eduarda Brasil, da cidade de São José de Piranhas, no Alto Sertão do estado, se classificou para a próxima etapa do The Voice Kids nesse domingo (25).

No terceiro dia de shows ao vivo, quem começou a se apresentar foi o Time Simone & Simaria, com o mato-grossense Augusto Michel cantando “Enamorado”, de Adair Cardoso.

A próxima a cantar foi Eduarda Brasil, que levantou a plateia com “Isso Aqui Tá Bom Demais”, que ficou famosa na voz de Dominguinhos. “Essa menina é uma estrela, cantora poderosa”, elogiou Claudia Leitte.

Depois de muita expectativa, o público salvou Eduarda Brasil, que vibrou: “Vocês não têm noção da alegria de estar aqui com esse público que se contagia com tudo o que a gente faz”, disse a paraibana.

VEJA TAMBÉM: Eduarda Brasil canta após ser recepcionada por multidão em São José de Piranhas

Nas redes sociais, o prefeito de São José de Piranhas, Chico Mendes, comemorou a vitória da conterrânea: “Parabéns, Eduardinha Brasil. Mesmo doente, mas iluminada por Deus, venceu a batalha. São José de Piranhas e a Paraíba brilhando em mais um domingo de The Voice Kids. Que venha as semifinais!”, escreveu.

SHOW DIÁRIO

Recomendado para você pelo google

COBRA REAJUSTE DE 2018

VÍDEO: Sindicalista elogia Zé Aldemir por salário de professores, mas diz que felicidade é ‘entre aspas’

ANALISAR MELHOR FORMA

Presidente da OAB Nacional diz que irá discutir modelo legal para a questão do armamento no Brasil

PARTICIPE!

Retiro de Carnaval de Pombal recebe adesão de fiéis para a execução do maior evento religioso da cidade

SANTA MARIA

VÍDEO: Faculdade de Cajazeiras é contraponto a injustiças sociais e falta de ‘gentilezas’, diz diretora