header top bar

section content

VIXE! Sousa e Campinense registram o pior início da Paraíba na história da Série D

Em duas rodadas, os dois clubes somam apenas um ponto conquistado. Resultado é pior, inclusive, do que nas edições em que o Estado tinha apenas um representante

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

21/06/2016 às 08h06

Sousa Esporte Clube (Foto: Facebook)

O futebol paraibano em 2016 vive seu pior início de Campeonato Brasileiro da Série D, desde que a competição foi criada em 2009. Em oito edições, os clubes do Estado nunca marcaram tão poucos pontos nas duas primeiras rodadas da competição nacional. Após quatro jogos, Sousa e Campinense juntos marcaram apenas um ponto (empate da Raposa no último sábado diante do Sergipe), uma marca inferior inclusive àquelas alcançadas em anos em que apenas um representante paraibano entrou em campo.

A Paraíba acumula neste início de campeonato três derrotas e apenas um empate. O Sousa já perdeu dentro de casa para o Globo FC (por 2 a 0) e fora de casa para o América-PE (por 2 a 1). Já o Campinense perdeu na estreia, fora de casa, para o Murici (por 1 a 0); e dentro de casa empatou com o Sergipe (1 a 1).

O desempenho é mesmo muito ruim. Se comparado com as duas outras edições de Série D em que o Estado também teve dois representantes, a diferença é realmente grande. Em 2012, os mesmos Campinense e Sousa acumularam sete pontos nas duas primeiras rodadas. Já em 2015, o desempenho foi ainda melhor: oito pontos marcados na soma de Treze e Campinense.

Mesmo nas cinco edições de Série D em que o Estado contou com apenas um participante, a pontuação paraibana ao término da segunda rodada foi melhor que apenas o ponto único de agora.

Em 2009, 2010 e 2011, por exemplo, o Treze foi o único participante da competição: marcou quatro pontos nas duas primeiras rodadas em 2009, três pontos em 2010 e seis pontos em 2011. Em 2013 e em 2014, nas duas temporadas com piores desempenhos antes deste ano, o Botafogo-PB marcou dois pontos em 2013 e o Campinense marcou dois pontos em 2014.

Curiosamente, o Belo em 2013 acabou conquistando o acesso para a Série C e vencendo a competição nacional justo numa temporada em que não começou bem, o que mostra que o Sousa e principalmente o Campinense, em tese, ainda têm tempo para se recuperar.

Mas dois detalhes tornam tudo mais difícil para os clubes participantes deste ano. Primeiro, cada time hoje tem menos jogos a disputador na primeira fase, porque antes cada grupo era composto por cinco clubes e agora são apenas quatro por grupo. O Belo em 2013, portanto, jogou oito vezes na primeira fase daquele ano; enquanto o Campinense vai ter uma primeira fase mais curta, com apenas seis jogos a disputar (e logo um tempo menor para se recuperar).

Depois, até o ano passado, os dois clubes de cada grupo tinham vaga garantida na fase de mata-mata. A partir de 2016, contudo, apenas o campeão de cada grupo tem vaga garantida na próxima fase. As outras vagas ficarão com os 15 melhores segundos colocados dentre todos os 17 grupos.

GE

Recomendado para você pelo google

ELITISMO?

VÍDEO: Escolas federais têm segurança, mas as outras são ‘destratadas’, afirma diretor em Cajazeiras

FUTEBOL

VÍDEO: Diário Esportivo fala sobre o Festival de Prêmios do Atlético e do clássico contra o Sousa

MASSACRE DE SUZANO

VÍDEO: Psicóloga fala sobre jogos eletrônicos e ausência da família influenciando tragédias com jovens

O CAMINHO

VÍDEO: Em Pombal, Frei Gilson declara que a Igreja Católica precisa pregar um catolicismo praticante