header top bar

section content

Vice aproveita viagem de presidente da FPF à França e tenta tomar poder à força

Amadeu Rodrigues está acompanhando, a convite da CBF, a Seleção Sub-20 no Torneio de Toulon. Aproveitando ausência, Nosman Barreiro foi à sede da FPF, arrombou portas e se declarou presidente.

Por Priscila Belmont

02/06/2017 às 08h00 • atualizado em 01/06/2017 às 20h37

Nosman Barreiro senta na meda de presidente e causa revolta com aliados de Amadeu Rodrigues (Foto: Cisco Nobre / GloboEsporte.com)

Crise na Federação Paraibana de Futebol. De um lado, o vice-presidente Nosman Barreiro tenta assumir o cargo a partir de um ato aministrativo, alegando que a entidade está sem comando. De outro, o presidente Amadeu Rodrigues denuncia da França – onde está como chefe da delegação brasileira no Torneio de Toulon – que está sendo vítima de uma tentativa de golpe.

Tudo começou por volta das 16h, quando o vice-presidente chegou à entidade acompanhado de seu advogado e de alguns aliados, dizendo que iria tomar posse como novo presidente da FPF. A confusão, como não poderia ser diferente, foi generalizada. E os aliados de Amadeu reagiram.

De acordo com Nosman Barreiro, o presidente deveria ter lhe passado o cargo quando viajou para a França. E, como isso não aconteceu, a entidade ficou acéfala, de forma que ele poderia requerer o cargo que tinha ficado vago.

– Se o presidente não está no comando, quem assume é o vice. Todo mundo sabe. Está no estatuto. Cadê o presidente? Se ele não está aqui, eu estou. Agora eu sou o presidente e quem manda aqui sou eu – declarou Nosman.

Amadeu, obviamente, discorda de seu vice. Diz que tudo não passa de mais uma tentativa de seu ex-aliado de assumir o poder à força e que tinha deixado com o seu diretor jurídico, Marcos Souto Maior Filho, uma procuração que lhe transmitia provisoriamente o cargo de presidente. Ele diz que está voltando imediatamente à Paraíba para reassumir o seu cargo.

Cada lado cita artigos diferentes do regimento interno da FPF para justificar suas posições.

A relação de ambos não era boa há muito tempo. Mas ambos estão em guerra declarada desde o mês passado, quando Nosman entrou com uma ação judicial pedindo o afastamento de Amadeu Rodrigues do cargo de presidente, almejando com isso asumir o cargo em seu lugar.

Falando em nome do presidente Amadeu Rodrigues, Marcos Souto Maior Filho contestou os argumentos de Nosman. Ele disse que as medida cabíveis seriam tomadas urgentemente e já previu, inclusive, que o vice-presidente da FPF vai ser afastado do futebol.

– Não tem cabimento o que Nosman está fazendo. Não tem validade. Ele não vai assumir a FPF e vai se dar mal nessa história toda. Ele vai ser banido do futebol, não vai mais poder entrar em qualquer estádio do Brasil – contra-argumentou Marcos Souto.

Entenda o caso

Amadeu Rodrigues e Nosman Barreiro foram eleitos presidente e vice-presidente da FPF respectivamente em 12 de dezembro de 2014, com 52,85% dos votos, em uma chapa apoiada pela ex-presidente Rosilene Gomes, que tinha sido afastada do cargo meses antes. Eles tomaram posse em 2 de janeiro do ano seguinte. Entretanto, Nosman conta que quatro meses depois os dois romperam relações e, por isso, ele se manteve afastado da entidade.

Em agosto do ano passado, houve rumores de renúncia por parte de Amadeu, após ele ter sido derrotado na assembleia extraordinária na qual pretendia mudar o estatuto da entidade. Nosman chegou a dizer que Amadeu tinha elaborado uma carta-renúncia, mas o presidente seguiu à frente da entidade.

Inclusive, foi divulgado na época que a tentativa de mudança do estatuto da FPF por Amadeu gerou rompimento com a ex-presidente Rosilene Gomes. Mas Nosman declara que o racha entre os dois aconteceu bem antes.

Globo Esporte PB

QUARTO EPISÓDIO

Em homenagem ao Dia das Crianças, programa Coisas de Cajazeiras entrevistou uma turma esperta e antenada

EMOÇÃO E REVOLTA

VÍDEO: Após um ano e três meses, Victória Albuquerque é sepultada sob lágrimas e protestos em Cajazeiras

CRISE?

VÍDEO: Empresário afirma que tem vagas de emprego em Cajazeiras, mas faltam profissionais capacitados

DIRETO AO PONTO

Eleitos em Cajazeiras devem se comprometer com aeródromo, estrada de Boqueirão e hospital, diz colunista