header top bar

section content

Confira os placares da última quarta na Libertadores; Grêmio goleia

Rodada teve empate de Cruzeiro e Vasco

Por Notícias ao Minuto

05/04/2018 às 15h40 • atualizado em 05/04/2018 às 18h18

© LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Oito clubes entraram em campo na noite da última quarta pela Libertadores e, pelo menos os brasileiros, não perderam.

O Grêmio não tomou conhecimento do Monagas e goleou em casa: 4 a 0. A equipe brasileira é a segunda colocada do Grupo 1, que tem o Cerro Porteño em primeiro, com quatro pontos, Defensor em terceiro, com um, e o Monagas, derrotado ontem sem pontos na última posição.

O uruguaio Peñarol também venceu em casa, pelo Grupo 3, e manteve o Atlético Tucumán na última colocação da chave, que é liderada pelo Libertad, tem o Peñarol em segundo e o The Strongest em terceiro lugar.

Vasco e Cruzeiro seguem sem vitórias na competição. Pelo Grupo 5, os brasileiros empataram em Belo Horizonte por 0 a 0 e seguem como terceiro (Vasco) e quarto (Cruzeiro) da chave, que é liderada pelo Racing e tem o Universidad de Chile em segundo. Na partida dessa quarta, Paulinho sofreu uma fratura no cotovelo e desfalcará o time de São Januário na final do Carioca, contra o Botafogo, no próximo domingo.

Pelo Grupo 8, do Palmeiras, que é líder com seis pontos, o Boca Juniors venceu em casa o Junior de Barranquilla e chegou à segunda posição. Alianza Lima é o terceiro e o time colombiano amarga a lanterna.

Fonte: Notícias ao Minuto - https://www.noticiasaominuto.com.br/esporte/573402/confira-os-placares-dessa-quarta-na-libertadores-gremio-goleia

"AQUI NESSA MESA DE BAR"

VÍDEO: Homenagem a garçons de Cajazeiras no programa Xeque-Mate tem música, drinks e boas histórias

SAÚDE E BEM-ESTAR

VÍDEO: Sangramento nas regiões do reto e do ânus pode ser sinal de doença grave, avisa médico

APOIO DE CRAQUE

VÍDEO: Embaixador do Campeonato Paraibano, Hulk diz que está à disposição para ajudar clubes do Sertão

COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS

VÍDEO: Para advogado da OAB de Cajazeiras, investir em presídios e não em escolas é ‘enxugar gelo’