header top bar

string(16) "diario-esportivo"

section content

Hulk elogia Tite, fala sobre possível retorno à Seleção e relembra 7 a 1 na Copa

Com grupo praticamente fechado, atacante considera improvável receber uma chance para a Copa da Rússia, mas promete permanecer se empenhando para no futuro ser lembrado novamente

Por Globo Esporte PB

26/04/2018 às 08h43

Atacante promete continuar trabalhando para, quem sabe, retonar à Seleção (Foto: Leo Correa / MoWA Press)

A última oportunidade de Hulk na seleção brasileira foi na Copa América Centário em 2016. De lá até aqui, o atacante deixou de ser convocado para vestir a camisa amarelinha. Com o grupo praticamente fechado para a Copa do Mundo, na Rússia, o jogador do Shanghai SIPG, da China, já nem cogita ter chance ainda neste Mundial. Em entrevista ao GloboEsporte.com, ele não poupou elogios a Tite, falou sobre o desejo representar o país novamente e também relembrou o 7 a 1 contra a Alemanha há quatro anos, em casa.

Quando Hulk foi convocado para disputar a Copa América Centenário, Dunga era quem estava à frente do Brasil. Logo depois, o comandante caiu e Tite assumiu. Sem espaço desde então, o atacante acha improvável ser convocado para a Copa da Rússia – país onde é ídolo por ter defendido o Zenit durante quase quatro temporadas.

– A Seleção está muito bem. Os jogadores muito confiantes, um grupo fechado. Tenho certeza que eles estão focados e estão pensando só na Copa. Penso que seria muito difícil ter uma, duas ou três vagas lá. Acho que Tite já tem o grupo dele fechado, os jogadores de confiança que participaram dos jogos (nas Eliminatórias) com ele. Espero que sejam as melhores escolhas e que o Brasil possa ter sucesso – afirmou Hulk.

Mesmo sem receber nenhuma chance com Tite, o atacante ainda alimenta o desejo de ter o nome novamente em uma lista de convocação. Hulk prometeu continuar trabalhando para, quem sabe, sentir esse gostinho de novo. O time do paraibano, o Shanghai SIPG, está em alta no Campeonato Chinês e lidera a competição com 19 pontos, sendo seis vitórias, um empate e nenhuma derrota. Tem o aproveitamento de 90,47%.

– A gente fica com saudade de vestir a camisa da Seleção, representar o nosso país, estar entre os melhores. Mas a gente respeita demais a opção do treinador. Sempre respeito e procuro fazer e dar o meu melhor no clube. Importante que estou feliz, estou muito bem. Graças a Deus que a Seleção está muito bem e estou apenas torcendo.

Continuo trabalhando e no dia em que o treinador voltar a me chamar irei feliz e pronto para dar o meu melhor. Estou tranquilo e focado no trabalho no meu time – revelou.

De longe, o camisa 10 do Shanghai SIPG elogiou Tite e comentou que as referências sobre o técnico são as melhores, tanto em relação ao trabalho, como também sobre a pessoa.

– Tite está fazendo um ótimo trabalho e venho acompanhando. Não tive a felicidade de trabalhar com ele, mas quem trabalhou e quem trabalha sempre elogia. Fala que ele é um grande treinador, como todo mundo vê, e também uma pessoa de caráter. Acho que o sucesso é fruto disso. Uma pessoa honesta. Estou torcendo para, se Deus quiser, ele conseguir esse título – comentou.

E o 7 a 1?

Em ano de Copa do Mundo, Hulk relembrou o 7 a 1 no Mundial do Brasil em 2014. Ele se referiu à goleada sofrida como uma tragédia. E destacou que, mesmo assim, na China, o nosso país ainda impõe respeito.

– Infelizmente, teve aquela tragédia no jogo, né? Só nós sabemos como foi difícil aquela situação, mas são coisas do futebol. A gente fica marcado negativamente, mas o futebol nos dá muitas oportunidades. Hoje o Brasil se encontra muito bem. A Seleção está jogando muito, está motivada, confiante, é uma forte candidata para ganhar a Copa da Rússia. Todos por aqui veem a Seleção forte, todos os jogadores bem nos seus clubes. Lembram daquele 7 a 1, mas o Brasil vai ser muito respeitado onde chega – avaliou.

Titular naquele jogo que custou a eliminação na semifinal, o atacante acredita que faltou sabedoria para tentar se reorganizar após a Alemanha abrir uma vantagem de três gols.

– É muito fácil chegar aqui e ficar inventando uma ou outra desculpa. Acho que perdemos porque o título acho que não tinha que ser nosso. A gente não soube começar perdendo para a Alemanha. Quando foi 1 a 0, 2 a 0, 3 a 0, um gol atrás do outro, a gente não conseguiu parar, respirar e ver o que estava errado para consertar. Depois já era tarde. Não tem que ficar falando: o grupo é isso, o grupo era aquilo, a pressão… O grupo era muito unido, muito bom, grandes jogadores. Todo mundo se responsabilizou pelo que aconteceu. Infelizmente não ganhamos. As grandes seleções também perdem. Triste por ter acontecido em casa e da forma que perdeu. Mas é o futebol e o futebol tem dessas coisas – finalizou.

Fonte: https://globoesporte.globo.com/pb/futebol/noticia/hulk-elogia-tite-fala-sobre-possivel-retorno-a-selecao-e-relembra-7-a-1-na-copa.ghtml

ENTREVISTA

VÍDEO: Programa Diversidade em Foco com professor de Português destaca as variações da nossa língua

HERANÇA ARTÍSTICA

VÍDEO: Filho de grande nome da música brasileira agita a Festa do Brega no Cajazeiras Tênis Clube

EM JOÃO PESSOA

VÍDEO E FOTOS: Posse da nova diretoria da API é marcada por repentes, lançamento de livro e emoção

DUPLA CERIMÔNIA

VÍDEO: OAB lança em Cajazeiras as chapas para as eleições da Seccional Paraíba e da Subseção local