header top bar

string(16) "diario-esportivo"

section content

Firmino é o Nordeste na Rússia; veja quem representou a região em Copas passadas

Alagoano, atacante do Liverpool é o único nordestino na lista de Tite e vai dar sequência à história contada por jogadores como Zagallo, Ademir Menezes, Vavá, Clodoaldo, Bebeto, Mazinho, Rivaldo...

Por Globo Esporte PB

28/05/2018 às 08h00 • atualizado em 26/05/2018 às 08h44

REUTERS/Andrew Yates

A lista dos 23 eleitos por Tite para a Seleção Brasileira que vai disputar a Copa do Mundo da Rússia trouxe uma particularidade interessante: apenas um jogador nasceu no Nordeste. A missão de levar adiante o legado deixado por Zagallo, Vavá e Rivaldo, só para citar três campeões do mundo, cabe ao atacante Roberto Firmino. Alagoano de Maceió, o jogador do Liverpool é o único nascido na região.

É bem verdade que Firmino teria a companhia do lateral Daniel Alves, baiano, mas que não foi chamado por conta de uma lesão no joelho. Assim, a relação dos convocados é predominantemente do Sul/Sudeste:

São Paulo (9 jogadores): Éderson, Fágner, Marquinhos, Pedro Geromel, Casemiro, Paulinho, Willian, Gabriel Jesus e Neymar

Rio Grande do Sul (4 jogadores): Alisson, Cássio, Douglas Costa e Taison

Rio de Janeiro (4 jogadores): Marcelo, Thiago Silva, Renato Augusto e Philippe Coutinho

Minas Gerais (2 jogadores): Danilo e Fred

Paraná (2 jogadores): Miranda e Fernandinho

Santa Catarina (1 jogador): Filipe Luís

Alagoas (1 jogador): Firmino

Só para efeito de comparação, na Copa de 2014, o Nordeste tinha quatro representantes: o zagueiro Dante (baiano), o volante Hernanes (pernambucano), o atacante Hulk (paraibano), além do próprio Daniel Alves.

A responsabilidade de Firmino é ainda maior. Isso porque nas cinco vezes que o Brasil levantou a taça da Copa do Mundo havia nordestinos no elenco. A tradição foi iniciada em 1958 com Zagallo, Zózimo, Vavá e Dida. Em 1962, Zagallo, Zózimo e Vavá conquistaram o bicampeonato, agora na companhia de Zequinha. Em 1970, Zagallo virou técnico e tinha, entre os seus comandados, o sergipano Clodoaldo. Em 1994, no tetra, estavam no elenco Aldair, Ricardo Rocha, Bebeto e Mazinho. E em 2002, no último título mundial da Seleção Brasileura, os representantes do Nordeste eram Dida, Júnior, Vampeta, Rivaldo e Edílson.

Uma seleção nordestina

Com tantas opções, dá para fazer até uma respeitável seleção nordestina de todos os tempos. Que teria Dida (1998, 2002 e 2006), Daniel Alves (2010 e 2014), Aldair (1990 e 1994), Ricardo Rocha (1990 e 1994) e Júnior (1982); Mazinho (1990 e 1994), Juninho Pernambucano (2010) e Rivaldo (1998 e 2002); Bebeto (1990, 1994 e 1998), Ademir Menezes (1950) e Vavá (1958 e 1962). O técnico, claro, seria Zagallo.

Olha que timaço: Dida, Daniel Alves, Aldair, Ricardo Rocha e Júnior; Mazinho, Juninho Pernambucano e Rivaldo; Bebeto, Ademir Menezes e Vavá; Técnico: Zagallo.

O baiano Bebeto, tetracampeão mundial em 1994: ao todo, 35 nordestinos já foram convocados para disputar uma Copa (Foto: Arquivo / Agência Estado)

Achou pouco? Pois ainda sobraria reservas da qualidade de jogadores como Manga, Luís Pereira, Zózimo e Dida.

Firmino é o terceiro alagoano a disputar uma Copa do Mundo, repetindo os feitos justamente de Dida e Zagallo. O ranking de estados nordestinos é liderado pela Bahia (13 jogadores), seguido por Pernambuco (10), Paraíba (4), Rio Grande do Norte (2), Maranhão (2) e Sergipe (1).

Clubes nordestinos jamais estiveram representados

Se ter nordestino na Seleção Brasileira não é exatamente uma novidade, por outro lado nunca um clube da região cedeu jogadores para uma Copa do Mundo. O mais curioso é que esta escrita esteve perto de ser quebrada. Há um ano, Diego Souza defendia o Sport e era um dos preferidos de Tite. O atacante acabou deixando o Leão para defender o São Paulo, ao mesmo tempo que perdia espaço com o treinador da Seleção. Resultado: nem ele, nem o Sport.

Diego Souza era um dos favoritos de Tite há um ano, quando defendia o Sport: ele poderia levar pela primeira vez um clube do Nordeste para a Copa (Foto: Futura Press)

Mesmo sem ter nenhum representante para a Copa de 2018, o Botafogo segue como o clube que mais cedeu jogadores para a Seleção Brasileira em Mundiais – 47 no total, seguido por São Paulo (46) e Vasco (35). Com a globalização do futebol, os clubes europeus vão subindo no número de convocações – o Real Madrid está em 10º lugar na lista, com 11 jogadores cedidos para a Seleção.

Fonte: https://globoesporte.globo.com/pb/blogs/nordestino-de-coracao/post/2018/05/25/firmino-e-o-nordeste-na-russia-veja-quem-ja-representou-a-regiao-em-copas-passadas.ghtml

NA PARAÍBA

OPINIÃO: Atraso de salários e falta de obras podem custar derrotas em 2020 a prefeitos do Alto Sertão

FIM DA NOVELA

VÍDEO: Irmãos Lira permanecem no comando do Atlético de Cajazeiras e já anunciam 17 jogadores de fora

REPORTAGEM ESPECIAL

VÍDEO: Igualdade de direitos entre brancos e negros é mito, afirma ativista social de Cajazeiras

OPORTUNIDADE

VÍDEO: Primeira etapa de venda do melhor loteamento do Sertão da PB continua aberta; saiba as vantagens