header top bar

string(16) "diario-esportivo"

section content

Cansado de comer “arroz e frango”, Till quer o cinturão e subir para o peso-médio

Cansado de comer “arroz e frango”, Till quer o cinturão e subir para o peso-médio

Por Sportv

30/08/2018 às 08h32

Tyron Woodley e Darren Till farão a luta principal do UFC 228 disputando o título dos meio-médios (Foto: Jeff Bottari/Getty Images)

Faltam cerca de duas semanas para o UFC 228, em Dallas, e o desafiante ao cinturão dos meio-médios, Darren Till, não parecia estar muito feliz durante o “Media Day” realizado pelo Ultimate na última terça-feira em Las Vegas, EUA. Com o semblante fechado, ele fazia caras e bocas mostrando cansaço e sofrimento durante os quase 30 minutos em que se exercitou na frente da imprensa. Em entrevista ao Combate, explicou que estava em uma fase complicada do camp, principalmente por conta da dieta para perder peso.

– Não é que esteja difícil (o treinamento) … na verdade eu estou chateado de comer arroz e frango, sabe? Eu quero comer fast food, uma coisa assim (risos). Faltam duas semanas (para a luta) e parece que eu fico 24 horas com câmeras, pessoas te puxando pra cá e pra lá… Eu só quero que a luta chegue e que tudo isso acabe. Eu gosto, mas são alguns dias em que eu fico cansado, não quero ver ninguém. Todo mundo tem dias assim, comigo é a mesma coisa.

O assunto “corte de peso” tem sido bastante recorrente na vida de Till, principalmente nos últimos meses. Em maio passado ele estourou em 1,7 kg o limite da categoria para lutas que não valem cinturão – e ainda tinha uma libra (0,454 g) de tolerância. Acabou vencendo Stephen Thompson na luta principal do UFC Liverpool, mas tem sido muito criticado desde que recebeu a chance de disputar o cinturão de Tyron Woodley no UFC 228. A pressão para que ele fique dentro do limite da categoria é tanta, que Kamaru Usman, sexto colocado no ranking da divisão, já se colocou à disposição da organização para bater o peso e ficar de reserva para substituir o inglês no combate, caso ele não crave o limite da divisão na balança.

Till, no entanto, não se intimida. Ele, inclusive, adotou alguns cuidados e está finalizando o camp de preparação no Instituto de Performance do UFC, em Las Vegas, justamente para ter um controle maior sobre essa questão.

– O peso está como sempre. Eu sempre tive que bater 170 libras (77,1 kg) e eu perco muito peso. Estou forte, com muita musculatura, então vai ser legal para baixar, mas todo dia tenho que tomar uma certa quantidade de água, uma certa quantidade de comida, ter horários específicos. Estou cansado de fazer isso. (…) Se o UFC acha que eu não vou bater o peso e o Kamaru (Usman) vai entrar pra lutar contra o Tyron, que seja… Para falar bem a verdade, eu não me preocupo com nada, eu sou um cara que me preocupo em chegar, treinar, dar o meu máximo e vencer a luta. E ser o melhor de todos os tempos no MMA. O que ele (Kamaru) vai fazer, o que o Tyron vai fazer, eu não estou nem aí.

Dono de um cartel de 17 vitórias e um empate, o lutador inglês, que viveu quatro anos no Brasil e fala português fluentemente, se diz muito confiante no combate contra o campeão, mas não subestima o adversário.

Fonte: https://sportv.globo.com/site/combate/noticia/cansado-de-comer-arroz-e-frango-till-quer-o-cinturao-e-subir-para-o-peso-medio.ghtml

CLUBE VIVE IMPASSE

VÍDEO – Representante do Atlético em reunião da FPF apresenta fórmula para participar do Paraibano 2019

VÍTIMA DA DIABETES

VÍDEO: Ameaçada de perder o segundo pé, idosa de Cajazeiras pede ajuda para adquirir sandália especial

ASSISTA

VÍDEO: ‘Mensagem de Esperança’ debate o mundo e o mal, sexo e outros temas

PARTICIPE!

VÍDEO: Gerente do Sebrae fala de revolução tecnológica em feira de Cajazeiras e convida empreendedores