header top bar

section content

Tribunal de Contas reprova contas de ex-prefeitos de Cajazeiras e de mais uma prefeita do Sertão paraibano

A decisão partiu do relator do processo, o conselheiro Arnóbio Viana, sendo acompanhada pelos demais colegas. A decisão cabe recurso. Confira aqui!

Por

22/07/2015 às 18h02

ex-prefeitos de Cajazeiras têm contas reprovadas

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) reprovou nesta quarta-feira (22), a prrestação de contas de 2011 dos ex-prefeitos de Cajazeiras, Leonid de Souza de Abreu (que administrou o município de 1º de janeiro a 15 de maio) e Carlos Rafael Medeiros de Souza (de 16 de maio até o final do exercício).

A decisão partiu do relator do processo, o conselheiro Arnóbio Viana, sendo acompanhada pelos demais colegas. A decisão cabe recurso. Segundo o Tribunal, os gestores deixaram de aplicar recursos na saúde e não recolheram as contribuições previdenciárias.

O não recolhimento dessas contribuições também contribuiu para a desaprovação das contas de 2013 da prefeita de Santana de Mangueira, Sertão do Estado, Tânia Mangueira Nitão Inácio. 

Leia mais: Advogados de ex-prefeito de Cajazeiras recorrem ao TJ para derrubar condenação

Contas aprovadas – Foram aprovadas as contas das Câmaras das seguintes cidades do Sertão: Paulista (2014), Santana dos Garrotes (2014), Cacimba de Areia (2014), Desterro (2014), Mãe d’Água (2014), Areia de Baraúnas (2014), Malta (2014), Cachoeira dos Índios (2014), Monte Horebe (2014) e Bonito de Santa Fé (2014). Também obtiveram a aprovação da Corte as contas de 2013 oriundas da Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana.

DIÁRIO DO SERTÃO 

Tags:
NA TELA DA TV DIÁRIO

Diário Esportivo traz tudo sobre a 2ª rodada do Paraibano; Tático narra gol da vitória do Atlético

SE CUIDE!

VÍDEO: No Janeiro Branco, Diversidade em Foco promove uma ‘Conversa sobre suicídio e como evitá-lo?’

RECONHECIMENTO

Prefeito de Sousa garante ajuda mensal ao médico cubano: “Eu irei ajudá-lo em todos os momentos”

"MERECIA MAIS"

VÍDEO: Comentarista critica falta de prestígio de Sousa com o Governo do Estado nas nomeações de cargos