header top bar

section content

Rômulo confirma rompimento com Ricardo e anuncia apoio a Cássio

"Ninguém se perde na volta, já dizia o grande paraibano José Américo de Almeida", disse o vice-governador ao justificar apoio ao tucano.

Por

27/06/2014 às 14h59

O vice-governador e presidente estadual do PSD na Paraíba, Rômulo Gouveia, anunciou, nesta sexta-feira (27), durante entrevista coletiva na sede da Associação Paraibana de Imprensa (API), rompimento com o governador Ricardo Coutinho (PSB) e retorno para o grupo do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), a quem, a partir de agora, apoiará para governador nas eleições estaduais de outubro.

"Ninguém se perde na volta, já dizia o grande paraibano José Américo de Almeida", disse o vice-governador ao justificar apoio ao tucano.

Rômulo disse que se sente à vontade para retornar ao ninho tucano, pois em nunhum instante em que esteve no lado oposto ao de Cássio fez críticas ao tucano. "Por isso que volto com a cabeça erguida", completou.

Antes da coletiva, Rômulo disse que o “o PSD não tem preço, tem dignidade”. O vice-governador disse também que foi traído, que o PSD sempre foi desrespeitado pelo governador e justificou o rompimento com Ricardo Coutinho com o fato de não ter participado das negociações para incluir o PT no bloco de partidos que apoiam o projeto de reeleição do socialista.

"Fiquei sabendo através da imprensa da articulação que o PT foi oficializado na chapa, na vaga que estava apalavrada para o PSD”, completou.

Durante meses, Rômulo, com aval do governador, disse que seria o candidato a senador da chapa majoritária do PSB, mas, na ultima quarta-feira (25), após fechar aliança com o PT, Ricardo destinou a vaga para disputar o Senado Federal para o executivo Lucélio Cartaxo (PT). Com o revés, Rômulo deverá disputar uma vaga na Câmara Federal nas eleições deste ano.

Antes da coletiva, foi lida uma carta do vice-governador justificando o rompimento, na qaul Rômulo afirma que o governador nunca cumpriu com as promessas de lhe assegurar espaço na chapa majoritária.

VEJA A CARTA

CARTA AOS PARAIBANOS

A Paraíba acompanhou, em todos os passos e detalhes, o acordo partidário do PSB e do governador Ricardo Coutinho, que garantiu ao PSD a vaga de candidato ao Senado em sua chapa para a eleição de outubro. A reivindicação de um espaço majoritário na chapa governista era decisão partidária, mais que projeto pessoal, com vistas a garantir ao PSD presença expressiva no Congresso Nacional.

O acordo foi reiterado seguidas vezes, e de público, por instâncias partidárias e pelo próprio governador, que mais de uma vez repetiu para diferentes auditórios a garantia de nossa candidatura ao Senado. Nos meios de comunicação, em sucessivas oportunidades, o governador nos tratou como "nosso senador", assegurando, ainda mais, que o PSD escolheria o posto a ocupar na chapa majoritária. Nenhum acordo, nenhuma negociação se faria sem nosso conhecimento e aprovação.

Nas últimas semanas, no entanto, o acordo partidário vem sendo sistematicamente descumprido pelo governador e pelo partido dele. O que apenas se conhecia pela Imprensa se concretizou, com um surpreendente loteamento dos cargos majoritários, alguns já assumidos, outros sabidamente já negociados.

O PSD em momento algum foi consultado sobre tais articulações. Em momento algum, abrimos mão de nossa candidatura ao Senado, até porque se tratava de um projeto partidário e não de um capricho pessoal. Jamais renunciamos. O que houve, na verdade, foi um brutal alijamento e exclusão do processo de composições partidárias, com o descumprimento inexplicável de acordos privados, de compromissos públicos, de palavra empenhada e de parcerias estabelecidas. Ontem nos enganaram. Hoje nos mentem. Sempre nos desrespeitaram.

O PSD não foi alijado apenas das articulações políticas, mas também de todos os atos de Governo, talvez porque o próprio governador já soubesse, de antemão, de nossa posição absolutamente contrária a algumas medidas das últimas semanas.

Como concordar com as centenas de nomeações de agentes políticos, com o objetivo mal disfarçado de conquistar os apoios eleitorais finalmente contabilizados? O Governo fez em poucas semanas o que se recusara a fazer nos primeiros anos de Administração. Tudo o que não cedeu em três anos, ele concedeu em poucas semanas. Talvez por isso os apoios que não obtivera em três anos se multiplicaram em poucos dias.

Tenho a consciência absolutamente tranquila da lealdade com que sempre me portei como vice-governador do Estado, inclusive assumindo o ônus político de medidas sobre as quais jamais fora ouvido. Trabalhei e colaborei em silêncio, sem jamais disputar holofotes muito menos o protagonismo das ações de governo, que, no entanto, são de uma equipe inteira, mais que de uma única pessoa. Não me arrependo. Ao contrário, envaidece-me o trabalho da equipe de governo que integrei. Orgulho-me da lealdade que é um valor de minha historia e marca de minha vida.

Apoiar, a essa altura, a reeleição do governador é avalizar o desrespeito, a quebra de palavra e compromissos e compactuar com práticas administrativas que o próprio governador e eu condenamos durante os primeiros três anos de administração. O PSD não acredita em ética de circunstância nem em moralidade de conveniência.

O PSD muda de trincheira para não mudar de valores e princípios. O PSD apoiará, na plenitude de suas forças e na inteireza de seus esforços, a candidatura de Cássio Cunha Lima, de quem em algum momento nos distanciamos por um projeto partidário, e de quem nos reaproximamos por uma decisão pessoal, de respeito a princípios e valores que são irrenunciáveis. Mesmo quando temporariamente distanciados, jamais nos desrespeitamos, nem em público, nem em privado. Os valores que nos uniram uma vida inteira consolidarão uma aliança que transcenderá dimensões puramente partidárias.

Com todas as adversidades, mesmo com o noticiário insistente sobre nossas exclusão da chapa majoritária, nosso nome cresceu consistentemente, em todas as regiões do Estado, como prova de que os paraibanos julgavam, em nosso pleito, a história de uma vida de quem já foi vereador, deputado estadual, deputado federal e vice-governador,sendo presidente do Poder Legislativo e que agora era indicado para ser senador. Agradeço a cada um dos que defenderam nossa causa, em todos os pontos de nossa Paraíba. Agradeço, muito particularmente, a minha querida Campina Grande, que não nos faltou com seu apoio e confiança.

O projeto partidário do PSD, de disputar espaço majoritário, fica temporariamente adiado. Submeto, agora, meu nome e minha história, propostas e bandeiras à Paraíba, na disputa de uma cadeira de deputado federal. A Paraíba julgará minha decisão e minhas aspirações, em instância última e irrecorrível.

Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé. II TM4:7

João Pessoa, 27 de Junho de 2.014

DIÁRIO DO SERTÃO com MaisPB

Tags:

Recomendado para você pelo google

AGRESSÃO AO MEIO AMBIENTE

VÍDEO: Após lutar contra fogo em serra, padre faz alerta sobre queimadas ‘criminosas’ em Cajazeiras

COMBATE AO CÂNCER DE MAMA

VÍDEO: Prefeitura de Cajazeiras abre campanha Outubro Rosa com entrega de mamógrafo para a população

ECONOMIA

VÍDEO: Mensagem Empresarial recebe empresário José Kennedy e debate sobre o setor calçadista no Brasil

JUSTIÇA

VÍDEO: Xeque Mate promove debate entre promotor e advogado sobre nova lei de abuso de autoridade