header top bar

section content

Programa Garantia Safra do Governo Federal é ampliado na Paraíba e valor sobe para R$ 850

O Garantia Safra é uma ação do Ministério do Desenvolvimento, executada em conjunto com agricultores familiares, prefeituras e governos estaduais.

Por

08/06/2013 às 12h31

A Paraíba conta agora com 120 mil cotas para o programa Garantia Safra. A medida de ampliação foi apresentada nesta sexta-feira (7), em Brasília, durante a realização da 16ª Reunião do Comitê Gestor do programa. Além disso, também foi anunciado o acréscimo de cerca de 11% no benefício, que para a safra 2013-2014 passa a ser de R$ 850,00 por agricultor.

Na Paraíba, para a safra atual, o programa conta com 98.327 mil agricultores familiares aderidos, dentre 100 mil cotas ofertadas, em 177 municípios, representando aproximadamente um investimento de R$ 5,7 milhões, por parte do Governo do Estado. “Nós temos evoluído no número de adesões a cada safra. Foi por esse motivo que solicitamos mais cotas ao Ministério do Desenvolvimento Agrário. Com a aprovação poderemos assegurar a produção de mais agricultores familiares no estado”, comenta o secretário de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, Marenilson Batista.

O programa
O Garantia Safra é uma ação do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), executada em conjunto com agricultores familiares, prefeituras e governos estaduais, garantindo o benefício de R$ 850,00 para os agricultores familiares que vivem em municípios que, devido a estiagem ou excesso de chuvas, tiveram perda de pelo menos 50% da produção de arroz, milho, feijão, algodão ou mandioca.

DIÁRIO DO SERTÃO com secom

Tags:
MUITO ESTRAGO

VÍDEOS: Chuva com vendaval causa destruição de prédios em Cajazeiras e Sousa e assusta moradores

DE 22 A 27 DE JANEIRO

VÍDEO: Teatro Ica completa 34 anos em Cajazeiras com extensa e diversificada programação cultural

DE 2017 PARA ESTE ANO

VÍDEO: São José de Piranhas tem aumento alarmante de homicídios em 2018; confira balanço da PM na região

VIXE!

VÍDEO: Vidente detalha futuro da imprensa de Cajazeiras e prevê mortes: “Não chega às festas juninas”