header top bar

section content

Jeová: Lula é a luz na aliança Ricardo e Maranhão

O deputado estadual Jeová Campos disse nesta quinta-feira (13), no programa Correio Debate, da Rádio 98/FM (Rede Correio Sat), que uma conversa entre o governador José Maranhão (PMDB), o presidente Lula (PT) e o prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho (PSB) seria o bastante para, na Paraíba, se manter a aliança PT, PMDB e PSB […]

Por

13/08/2009 às 15h58

O deputado estadual Jeová Campos disse nesta quinta-feira (13), no programa Correio Debate, da Rádio 98/FM (Rede Correio Sat), que uma conversa entre o governador José Maranhão (PMDB), o presidente Lula (PT) e o prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho (PSB) seria o bastante para, na Paraíba, se manter a aliança PT, PMDB e PSB para 2010.

Na opinião de Jeová Campos, o presidente Lula tem total interesse de manter uma aliança do PT com o PMDB no País inteiro e, portanto, na Paraíba também. Para ele, o grande projeto político do bloco seria manter a aliança envolvendo o governador José Maranhão, o prefeito Ricardo Coutinho e todas aquelas lideranças.

O parlamentar chegou a dizer que o prefeito de João Pessoa poderia disputar uma das vagas de senador pela Paraíba, enquanto a outra poderia ser disputada por Wilson Santiago ou o atual senador Roberto Cavalcanti.

Jeová Campos, de antemão, disse que é partidário e, portanto, acolherá a decisão que o seu partido tomar com vistas a disputa eleitoral do próximo ano. Enquanto nada se define, porém, está lutando para que a aliança que elegeu José Maranhão governador, e Ricardo Coutinho prefeito de João Pessoa, seja mantida. 

Fonte: Portal Correio

Tags:
MUITO ESTRAGO

VÍDEOS: Chuva com vendaval causa destruição de prédios em Cajazeiras e Sousa e assusta moradores

DE 22 A 27 DE JANEIRO

VÍDEO: Teatro Ica completa 34 anos em Cajazeiras com extensa e diversificada programação cultural

DE 2017 PARA ESTE ANO

VÍDEO: São José de Piranhas tem aumento alarmante de homicídios em 2018; confira balanço da PM na região

VIXE!

VÍDEO: Vidente detalha futuro da imprensa de Cajazeiras e prevê mortes: “Não chega às festas juninas”