header top bar

section content

Prefeito de Bom Jesus adere a Zé Maranhão

Mais uma importante liderança do sertão da Paraíba admitiu apóiar à candidatura à reeleição do governador José Maranhão, o Prefeito de Bom Jesus, Manuel Dantas Neto (PTB). O anuncio aconteceu nesta quinta- feira, 27, a imprensa de Cajazeiras, através da sua assessoria. O Prefeito Manuel Dantas obteve mais de mil votos na última eleição municipal […]

Por

09/07/2009 às 09h37

/Mais uma importante liderança do sertão da Paraíba admitiu apóiar à candidatura à reeleição do governador José Maranhão, o Prefeito de Bom Jesus, Manuel Dantas Neto (PTB). O anuncio aconteceu nesta quinta- feira, 27, a imprensa de Cajazeiras, através da sua assessoria.

O Prefeito Manuel Dantas obteve mais de mil votos na última eleição municipal em Bom Jesus. Ele trará consigo também o apoio de várias lideranças políticas para apóiar Maranhão. O prefeito afirmou que o apoio “é preciso para que as melhorias aconteçam em favor do povo de Bom Jesus. Temos muitas obras a serem construídas. Esperamos que com este apoio ao Governador, as melhorias chegem”. Disse Manuel.

Adesão
Os prefeitos Teta Francisco (Cachoeira dos Índios), Juninho Braga(Nazarezinho), José Edomarques Gomes (Bernardino Batista), Manoel Alves Neto (Poço José de Moura), Itamar Mangueira (Triunfo), Manoel Batista Guedes Filho (Águia) e a ex-prefeita de Poço José de Moura, Aurileide Egídio de Moura, já anunciaram o apoio ao Governador Maranhão. Já a prefeita de Uiraúna Glória Geane, ainda não se pronunciou sobre o apoio ao goverador Maranhão.

Da redação do Diário do Sertão

Tags:
MUITO ESTRAGO

VÍDEOS: Chuva com vendaval causa destruição de prédios em Cajazeiras e Sousa e assusta moradores

DE 22 A 27 DE JANEIRO

VÍDEO: Teatro Ica completa 34 anos em Cajazeiras com extensa e diversificada programação cultural

DE 2017 PARA ESTE ANO

VÍDEO: São José de Piranhas tem aumento alarmante de homicídios em 2018; confira balanço da PM na região

VIXE!

VÍDEO: Vidente detalha futuro da imprensa de Cajazeiras e prevê mortes: “Não chega às festas juninas”