header top bar

section content

No Senado, Cássio cita André Gadelha e diz que prefeito de Sousa está preocupado com retorno da miséria. Veja

O prefeito de Sousa demonstrou sua preocupação e alegou que a volta desta prática está ocorrendo por conta da inflação crescente que acontece no país.

Por

14/03/2015 às 14h09

Prefeito André está preocupado com miséria

Ocupando a tribuna do senado em Brasília, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) da Paraíba fez um pronunciamento abordando a dificuldade que alguns municípios estão atravessando por conta da crise vivenciada no país atualmente. Fazendo referencias as visitas que fez recentemente a algumas cidades do interior paraibano, o senador Cássio destacou o lamento de vários prefeitos preocupados com o retorno de uma situação que há muito tempo não era presenciada, que é o fato de pessoas estarem indo pedir comida e alimentos nas prefeituras locais.

De acordo com Cássio Cunha Lima, a observação de que muitos pobres estão voltando a pedir comidas e alimentos nas prefeituras, foi constatada pelo prefeito de Sousa André Gadelha (PMDB). Segundo o senador, o prefeito de Sousa demonstrava sua preocupação e alegava que a volta desta prática está ocorrendo por conta da inflação crescente que acontece no país e que está tirando o poder de compra dos mais carentes.

O pronunciamento do senador Cássio Cunha Lima mencionando a conversa que teve com o prefeito André Gadelha, aconteceu nesta sexta-feira (13) na tribuna do senado e foi acompanhada por vários senadores que participavam da sessão que foi transmitida ao vivo.

Ivandney Sena – Decom

Tags:
"AQUI NESSA MESA DE BAR"

VÍDEO: Homenagem a garçons de Cajazeiras no programa Xeque-Mate tem música, drinks e boas histórias

SAÚDE E BEM-ESTAR

VÍDEO: Sangramento nas regiões do reto e do ânus pode ser sinal de doença grave, avisa médico

APOIO DE CRAQUE

VÍDEO: Embaixador do Campeonato Paraibano, Hulk diz que está à disposição para ajudar clubes do Sertão

COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS

VÍDEO: Para advogado da OAB de Cajazeiras, investir em presídios e não em escolas é ‘enxugar gelo’