header top bar

string(13) "diario-sertao"

section content

Ex-governador diz que PB teve prejuízo com a não nomeação de Vital ao Ministério. Ouça!

Ele afirmou que irá participar da política, mas que, ainda não é o momento de dizer que pleito irá concorrer.

Por

04/10/2013 às 10h24

O ex-governador José Maranhão (PMDB) falou em entrevista a imprensa do Sertão da Paraíba nesta quinta-feira (03), ocasião em que falou sobre as filiações e desfiliações ocorridas nos últimos dias na região.

Maranhão informou inclusive que, não recebeu pedido de desfiliação dos prefeitos de Bernardino Batista, Gervásio Gomes, de Triunfo, Damísio Mangueira e de Joca Claudino, Lucrécia Adriano. Porém, disse que caso isso aconteça não haverá problemas. “O importante nesse processo é o povo”, disse.

O ex-governador lamentou a filiação de Jeová Campos ao PSB e disse que perdeu um aliado político, mas afirmou que a amizade continua. Maranhão disse ainda que, não tem dúvidas de que o deputado federal Wilson Filho, por influência de seu pai, sairá do PMDB.

Com relação ao cargo que irá disputar em 2014, José Maranhão afirmou que irá participar da política, mas que, ainda não é o momento de dizer que pleito irá concorrer.

Vital não foi nomeado
O ex-governador falou sobre a não nomeação do senador Vital do Rêgo (PMDB) ao Ministério da Integração. Segundo ele, foi um grande prejuízo para a Paraíba e para o país, pela competência do senador. “O Governo de Dilma perdeu uma grande oportunidade de melhorar o seu ministério. Prova disso é que Vital ocupa uma das Comissões mais importantes do Congresso Nacional”, disse.

Ouça áudio da Rádio Alto Piranhas.

[mp3:maranhao1.mp3]

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:
VÍTIMA DA DIABETES

VÍDEO: Ameaçada de perder o segundo pé, idosa de Cajazeiras pede ajuda para adquirir sandália especial

ASSISTA

VÍDEO: ‘Mensagem de Esperança’ debate o mundo e o mal, sexo e outros temas

PARTICIPE!

VÍDEO: Gerente do Sebrae fala de revolução tecnológica em feira de Cajazeiras e convida empreendedores

PLANOS E METAS

VÍDEO: Cantor explica como pretende administrar o Atlético e declara que o problema do clube é político