header top bar

section content

VÍDEO: Professor diz que Cajazeiras precisa ‘acordar’ para a educação: “Nós perdemos para Santa Helena”

Segundo ele, a educação de Cajazeiras está em retrocesso e precisa de gestores experientes para que haja algum progresso

Por Tanammy Freire

26/12/2019 às 17h10 • atualizado em 26/12/2019 às 17h17

O programa Mensagem Empresarial, da TV Diário do Sertão, desta quarta-feira (18), recebeu o professor mestre Kim Alves, que falou da atual situação de Cajazeiras na educação.

Segundo o professor, a educação de Cajazeiras está em retrocesso e precisa de gestores experientes para que haja progresso nos próximos anos.

“A gente tem que acordar. Cajazeiras é a cidade que ensinou a Paraíba a ler. Precisamos de uma pessoa que tenha experiência em gestão para que faça por essa cidade algo que venha unir todo mundo, a população, os empresários e os munícipes, e a gente sairá ganhando com tudo isso”, disse.

VEJA TAMBÉM

Santa Helena lidera Ideb da região no ensino fundamental, de acordo com relatório do MEC

O professor comparou a educação de Cajazeiras com a de Santa Helena, que se destaca com um dos melhores Índices de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do estado da Paraíba. O Ideb avalia qualidade da educação, fluxo escolar e médias de desempenho nas avaliações.

“Não é justo que uma cidade como Cajazeiras, que é conhecida como a cidade que ensinou a Paraíba a ler, não consiga alcançar nem mesmo o que o Ideb pede. Sem nenhum demérito, mas nós ficamos atrás até mesmo de Santa Helena”, afirmou o professor.

Redação DIÁRIO DO SERTÃO 

Recomendado para você pelo google

PROBLEMA SOCIAL

VÍDEO: Conselho Tutelar notifica pais por causa de crianças pedindo nos semáforos de Cajazeiras

OPÇÃO RELIGIOSA

VÍDEO: Retiro de Carnaval de Pombal anuncia programação da 35° edição com atrações a nível nacional

CAMPEONATO PARAIBANO

VÍDEO: Wesley, Éder Paulista e o técnico Ederson Araújo aprovam estreia do Atlético e elogiam a torcida

FALTA DE COMODIDADE

Professora cobra fiscalização na ocupação de calçadas por comerciantes que interfere a mobilidade urbana