header top bar

section content

Francisco Cartaxo

Escritor, filiado União Brasileira de Escritores/PE, ex-secretário de Planejamento da Paraíba, ex-secretário-adjunto da Fazenda de Pernambuco, ex-secretário-adjunto de Planejamento do Recife, Articulista semanal do jornal Gazeta do Alto Piranhas, de Cajazeiras, Consultor associado à CEPLAN, Consultoria Econômica e Planejamento.

Email: cartaxorolim@gmail.com

OPINIÃO | 07/05/2013 08:04

Código de Posturas de Cajazeiras

Não é de hoje que os municípios adotam leis disciplinadoras de convivência das pessoas nos espaços públicos, das relações entre as pessoas e destas com o poder público. São regras de comportamento para cidadãos, empresas, instituições baixadas no pressuposto do interesse coletivo. O Código de Posturas é um instrumento próprio para discriminar o que se […]


OPINIÃO | 29/04/2013 15:00

Conviver com a seca

O leitor pode estranhar que eu venha falar de seca quando as chuvas voltam a cair. Fiz de propósito. Desde menino, ouço falar que a seca se combate no inverno. Combater Como se fosse uma guerra. Por um triz a expressão “combate” ou “luta” não figurou no nome do primeiro órgão federal criado, em 1909, com a finalidade […]


OPINIÃO | 22/04/2013 11:31

Netos do major Higino Rolim

Higino Rolim é nome de rua em Cajazeiras. Paralela à Rua Epifânio Sobreira é uma ruela que vai do balde do Açude Grande à Praça Nossa Senhora de Fátima. Higino Gonçalves Sobreira Rolim e Epifânio Gonçalves Sobreira Rolim eram irmãos. Filhos do mestre-escola Francisco Gonçalves Sobreira e Josefa Maria da Conceição, sobrinha do padre Rolim. […]


OPINIÃO | 15/04/2013 14:54

A morte do cangaceiro Cocada

Cocada era um bandido chegado a “perversões de ordem moral. Bíblia em mãos, forçava mulheres a fazerem um juramento. O conteúdo da promessa era a entrega do próprio corpo ao cangaceiro. Dessa forma, o astuto deflorador agia desde razoável lapso de tempo”. Assim, o juiz de direito Sérgio Dantas resumiu o perfil de Manoel Marinho, o Cocada, que atuou […]


OPINIÃO | 09/04/2013 00:33

Imagem de Epaminondas Braga

José Epaminondas Braga nasceu no mesmo dia, no mesmo mês, no mesmo ano em que veio ao mundo Celso Furtado. Completaria 93 anos em 26 de julho deste ano. Nesse dia, dez anos depois, era assassinado, aqui no Recife, o presidente João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque. Coincidências, simples coincidências, mas Epaminondas as relembrava vez por […]


OPINIÃIO | 01/04/2013 00:00

A espada brilhou à luz da lua

A espada parecia uma lenda. Pendurada na parede como decoração encantava filhos e netos de Cristiano Cartaxo com histórias contadas pelos mais velhos. Era uma espada velha, feia, curvada, sem brilho, já um pouco amassada, muito diferente da outra pertencente a José Rafael, garboso tenente da reserva do glorioso Exército brasileiro, conquistada em plena Segunda […]


OPINIÃO | 24/03/2013 16:21

Cajazeiras e São José de Piranhas

  A história de Cajazeiras está ligada a de São José de Piranhas. Não falo da história recente, mas do passado, da origem dos dois municípios sertanejos. Por isso não me refiro à cidade atual, (ex-Jatobá), que substituiu o núcleo urbano inundado pelo Açude Engenheiro Ávidos. As ligações do presente são importantes, porém, no passado […]


OPINIÃO | 11/03/2013 23:37

A vingança do cabra Damião

  Quando os homens de Floro Bartolomeu da Costa e padre Cícero Romão Batista invadiram a casa de José Joaquim de Brito, no município de Várzea Alegre, sua mulher reuniu os filhos, todos menores de idade, e passou uma ordem severa: – Não quero ouvir ninguém chorar nem debaixo de peia, tá entendido? Minha avó, […]


OPINIÃO | 03/03/2013 12:55

Preguilesma no Aeroporto

Quando estive em Cajazeiras, semana passada, dei um pulo no inconcluso aeroporto Professor Pedro Moreira e, surpreso, descobri um estranho animal arrastando-se ao pé da cerca de arame. De mansinho, me aproximei e com muito esforço pude identificá-lo: um preguilesma. Não se trata daquele “monstruoso inseto de ventre abaulado cheio de pernas” que espantou o […]


OPINIÃO | 25/02/2013 22:46

As selas de Joaquim de Brito

  Quando os cabras chegaram à casa grande da fazenda de meu avô para prendê-lo, foram recebidos por sua mulher que lhes informou ter seu marido viajado. Desconfiados, os homens de Floro Bartolomeu conferiram com os olhos o que havia na varanda, no corredor e na sala. Atrevidos, percorreram outras dependências do imóvel, até mesmo […]