header top bar

Francisco Inácio

section content

A educação e o desencontro para um resultado positivo

20/11/2015 às 19h37

Por Francisco Inácio

A educação brasileira vem passando por diversos problemas e podemos notar uma série de dificuldades nas escolas pública de todo Brasil. Observa-se que aluno termina o ensino médio, não domina bem a habilidade de ler e escrever, em sua maioria não sabe dividir e nem domina outras operações da matemática, resumo básico para seguir sua carreia estudantil. Nota-se também que a maioria dos alunos termina o ensino médio sem bons conhecimentos para abraçar uma carreia de sucesso na universidade.

Tudo isso é resultado direto de uma estrutura educacional catastrófica que tem como responsável imediato o próprio sistema governamental. Ressalta-se que a estrutura administrativa da educação vem atualmente investindo de forma desordenada, não esquematiza corretamente e gasta os recursos com produtos de menos necessidades. Entre todos os problemas, podemos enumerar a forma de investimento e o mau gerenciamento dos recursos aplicados na educação. Outro problema de grande relevância é o baixo salário pago a professores e funcionários, razão pela qual, muitos professores da rede estadual de ensino contraem doenças do sistema nervoso, professores frustrados e estressados e outros fatores que contribui para chegar a uma educação de baixo rendimento.

As avaliações implantadas pelo governo para aferir a educação brasileira apresentam números desanimadores, isso tornou uma situação insustentável que não pode continuar. As verbas destinadas a educação pelo MEC, tem um destino mal gerenciado pelos governos federal e estadual e são aplicadas de forma não planejada. Exemplo: enviam computadores para as escolas, mas só quem pode instalá-los são os técnicos do governo, estes por sua vez, demoram mais de ano, os computadores ficam desatualizados. Outro fator observado, o governo adquire computadores com processadores sem velocidade e quando funcionam não tem internet de qualidade na escola, é isso que eu entendo como mau planejamento e péssimo gerenciamento das verbas públicas.

O que fazer para solucionar os problemas da nossa educação? É uma pergunta difícil de responder, mas a solução está na escolha dos administradores, somente o povo consciente fará a correção, mas isso vai demorar muitos anos,  por    que a maioria dos que se propõem a governar não tem boas intenções, pensamento firme e básico para melhorar.  

Enquanto se praticar a política do assistencialismo, da ajuda durante a campanha e outros fatores de resultados paliativos, nunca chegaremos a um resultado coletivo e definitivo, o alienismo popular e a forma de fazer a campanha praticada pela maioria dos políticos, torna-se o maior problema para chegarmos a um resultado positivo também na educação. Somente DEUS na causa para resolver definitivamente todos os problemas educacionais.

Outras informações que nos chega recentemente é de que o governo do estado da Paraíba retirou praticamente os transportes da nona gerência de ensino com sede em Cajazeiras, deixando apenas um veículo para dar assistência aos 15 municípios da micro região sertaneja, tem poucas verbas para abastecer o veículo,  quase não tem pagamentos de diárias para os funcionários, falta alguns materiais de expediente na sede da nona gerência de ensino, e assim vai os desmandos e o mau funcionamento do órgão educacional.  

Onde está o dinheiro da educação enviado pelo MEC: vou repetir, é empregado de forma mal planejado e direcionado as coisas de menor importância. As escolas receberam nos últimos dois anos muitos armários de aço, central de água ou gelagua, laboratório de robótico, onde a maioria das escolas não tem nenhuma estrutura física para o funcionamento. São coisas importantes? É claro que sim, mas o governo precisava primeiro organizar a estrutura física das escolas para depois investir em modernidades educacionais deste nível. É o mau planejamento que ocasiona um grande desencontro entre a educação e o resultado positivo.

pita.sjp@ig.com.br   

Francisco Inácio de Lima Pita é Radialista e Professor Licenciado em Ciências e Biologia pela UFPB e UFCG respectivamente. Atualmente é professor da EEEM Joaquim Lacerda Leite e Escola Normal São José na cidade de São José de Piranhas – PB. Participa todos os sábados do Programa Radar em alerta da Radio Terra Nova FM, 88,7 MHz em São José de Piranhas-PB.

Francisco Inácio

Francisco Inácio

Francisco Inácio de Lima Pita é Radialista e Professor Licenciado em Ciências e Biologia pela UFPB e UFCG respectivamente. Atualmente é professor da EEEM Joaquim Lacerda Leite e Escola Normal São José na cidade de São José de Piranhas – PB. Participa todos os sábados do Programa Radar 104 da Jatobá FM comentando sobre diversos assuntos

Contato: pita.sjp@ig.com.br

CADASTRAMENTO

VÍDEO: Prazo final para biometria na região de Catolé do Rocha é antecipado, e Justiça alerta eleitores

MITO DA INTERNET

VÍDEO: Fenômeno Gleyfy Brauly bate recorde de audiência no Xeque-Mate e canta sucessos no ‘imbromation’

CALDEIRÃO POLÍTICO

VÍDEO: Aliado releva que dois vereadores de oposição estão rasgando elogios ao prefeito Airton Pires

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe o professor Sérgio Cunha divulgando o IV Open paraibano de Karatê; Confira!

Francisco Inácio

Francisco Inácio

Francisco Inácio de Lima Pita é Radialista e Professor Licenciado em Ciências e Biologia pela UFPB e UFCG respectivamente. Atualmente é professor da EEEM Joaquim Lacerda Leite e Escola Normal São José na cidade de São José de Piranhas – PB. Participa todos os sábados do Programa Radar 104 da Jatobá FM comentando sobre diversos assuntos

Contato: pita.sjp@ig.com.br