header top bar

section content

Trio é condenado por matar e pendurar corpo de prostituta em motel

Familiares da vítima acompanharam todo o julgamento e pediam a punição dos acusados. “Eu quero justiça. Eles [réus] são ruins, frios"

Por

25/11/2015 às 13h16

Trio é condenado por matar e pendurar corpo de prostituta em motel

Os três homens acusados matar e pendurar em uma caixa de ferro o corpo da garota de programa Kelly Tatiany Costa Silva, de 32 anos, em frente a um motel, em Goiânia, foram condenados pelo crime, ocorrido em maio do ano passado. Eles foram a júri popular na terça-feira (24).

Na sessão, presidida pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara, do 1º Tribunal do Júri da capital, André Luiz Marques da Silva e Maycon Miranda do Nascimento foram sentenciados a 16 anos de prisão. Eles foram apontados no processo como os autores do crime. Já Leandro Fernandes Dias, o mandante, pegou 15 anos e 6 meses.

De acordo com a Justiça, o assassinato foi cometido por motivo banal e com meios cruéis. O trio deverá cumprir imediatamente as penas na Penitenciária Odenir Guimarães, localizada no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital.

Familiares da vítima acompanharam todo o julgamento e pediam a punição dos acusados. “Eu quero justiça. Eles [réus] são ruins, frios. Eles não mataram só minha irmã, eles também mataram outras pessoas. Quero a condenação de todos eles”, disse a irmã da vítima, Kenia Brasil Silva, de 35 anos, durante o júri popular.

A reportagem tentou contato com o advogado Orlando Ferreira Nunes, que defende Leandro, mas as ligações não foram atendidas até esta publicação. Já os advogados de André Luiz Marques da Silva e Maycon Miranda não foram localizados para comentar o assunto.

Homicídio
O crime aconteceu no dia 18 de maio do ano passado. Os três foram detidos na manhã do dia seguinte e estão presos desde então. Eles foram denunciados por homicídio qualificado por motivo torpe e utilizando meio cruel, que impossibilitou a defesa da vítima.

Segundo a denúncia, Kelly, que era usuária de drogas, devia dinheiro a Leandro Fernandes Dias, que traficava entorpecentes na região do Bairro São Francisco.

Além disso, segundo a acusação, ele disputava o ponto em que ela fazia programas, na Rua Rocha Pombo, e acreditava que a mulher tinha mandado fazer um trabalho de magia negra para que o tráfico não fosse mais realizado no local. Ele também acreditava que ela estava passando informações da quadrilha para a polícia.

Leandro, então, mandou que André Luiz Marques da Silva e Maycon Miranda do Nascimento, que trabalhavam para ele, matassem a garota de programa.

De acordo com a investigação, no dia do crime, os dois entraram em luta corporal com a vítima e, após espancá-la, a estrangularam. Em seguida, eles amarraram o corpo dela a uma caixa de ferro, que guardava fios telefônicos, em frente a um motel.

O corpo da vítima foi encontrado com os joelhos levemente dobrados, com a saia levantada e os cabelos cortados.

G1

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan