header top bar

section content

Professora é suspensa depois de ter relacionamentos e enviar selfies nuas para alunos

A professora teria atraído um dos alunos para uma sala de aula vazia

Por

26/02/2015 às 08h01

A professora teria atraído um dos alunos para uma sala de aula vazia (Foto: Reprodução)

Uma professora  foi suspensa depois de enviar selfies nuas para seus próprios alunos. A mulher de 37 anos é casada. 

Allison Marchese se entregou à polícia depois de ser acusada de agressão sexual em segundo grau. 

Moradora de Connecticut, nos EUA, ela foi descoberta pelas autoridades depois de enviar mensagens de texto e fotos inapropriadas de si apenas para estudantes. 

A mulher foi colocada em licença na instituição onde lecionava até que as investigações sejam concluídas. 

Seu marido, Robert Marchese, trabalhava na mesma escola e departamento que a esposa. 

Em um relatório de mandado de prisão, um estudante de 17 anos contou como algumas das fotos foram registradas. 

A professora teria atraído um dos alunos para uma sala de aula vazia. Eles começaram a se beijar antes que Marchese fechasse a porta da sala e as cortinas e realizasse um ato sexual no estudante. 

O adolescente, mais tarde, tentou romper o relacionamento, mas a professora disse que estava “viciada” e o chantageou. Apesar disso, ele acabou a denunciando. 

Depois que as acusações vieram a público, outro estudante se apresentou dizendo que tinha um relacionamento com a professora. Ela teria dito ao menino, de apenas 14 anos, que ele era tão atraente que ela não conseguia se concentrar em ensinar durante as aulas. 

Techmestre

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os organizadores do 1º Eco pedal e o garoto prodígio do futebol Luiz Felipe

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Maria Vitória e Rodrigo Almeida 11.08.2017

INTERVIEW

Educadora fala da infância difícil e sua trajetória de sucesso: ‘Faltava dinheiro, mas não alegria’