header top bar

section content

Em entrevista, pediatra Dilbery revela tudo sobre alimentação saudável e doenças de crianças. Confira!

Dr. Dilbery ensinou mães a como tratar de doenças típicas da infância.

Por

21/12/2011 às 13h00

O pediatra José Dilbery de Oliveira prestou entrevista ao Portal Diário do Sertão nesta segunda-feira (19). Na ocasião, o médico tirou dúvidas de vários populares com relação a doenças e alimentação de crianças.

Dentre alguns assuntos mais destacados na entrevista estavam a dificuldade que algumas crianças tem para evacuar e a alimentação inadequada de outras. O médico tirou dívidas sobre como proceder quando a criança engole uma moeda e quando ela está com febre.

Ouça o Áudio.

Veja a entrevista na íntegra:

DIÁRIO DO SERTÃO: Pode dar bebida gelada pra criança durante a gripe ou febre?

Dr. Dilbery: Realmente existe entre a população aquela cultura de não beber coisa gelada quando você tem uma gripe, uma sinusite, uma crise de garganta, uma pneumonia, não dá certo, não convém, na verdade isso é um mito. Pode se tomar água gelada, isso não vai te fazer piorar daquela doença, porque essas doenças não são transmitidas através de mudança de temperatura e sim através de gotículas que saem durante um espirro, uma tosse, pelo contato da mão. Então por mais que você evite beber água gelada, nada adianta se você não lavar as mãos.

Enquanto a febre, existe um medo de todo o pai com relação a febre. Febre não é um problema, é um mecanismo natural de defesa, quando você está doente tem febre para que a bactéria morra. Esse aumento vai depender do organismo de cada um, de quanto cada um pode se defender. A própria medicação ensina que só se dê remédio a partir de 39 e meio porque eu preciso dessa febre pra me proteger. Como eu sei que a febre traz um desconforto, dor no corpo, agente começa a oferecer medicação a partir de 38. Mas, além de dar medicação eu preciso deixar essa criança num ambiente ventilado com o mínimo de roupa possível. Nós temos que ser práticos, mediu a temperatura deu 38 tira a camisa dessa criança, deixa ela bem ventilada, oferece medicação, se der calafrio é só por conta da diferença de temperatura. Essa medicação em 30 ou 40 minutos vai começar a baixar a temperatura.

DIÁRIO DO SERTÃO: Como proceder quando a criança apresenta dificuldade de fazer cocô?

Dr. Dilbery: Quando nós falamos nessa dificuldade evacuar precisamos lembrar que estamos falando em constipação. Constipação ela pode ter duas causas: alimentação ou algum problema de saúde então não é obrigatoriamente o laxante que vai resolver essa doença, o primeiro passo é aumentar a quantidade de água ingerida por essa criança para que as fezes possam se formar dentro de um ambiente repleto de água. Segundo, vamos tentar fazer uma dieta mais laxativa, por exemplo, as mães costumam dar mingau ao seu filho, mas o mingau é constipante, é melhor trocar pelo mamão, abacate, manga, ao invés de banana e goiaba.

DIÁRIO DO SERTÃO: O que fazer quando a criança não quer comer?

Dr. Dilbery: De seis meses a um ano e meio de idade é quando a criança está desenvolvendo o paladar, ou seja, o que ela realmente gosta de comer. As crianças que comem frutas, verduras elas não tem nenhum problema de constipação, pois tem uma alimentação saudável e esse hábito tem que ser desde pequeno.

Quem oferece comida tem que dizer o que comer e que horas comer, para a criança vai restar somente a quantidade. A família tem que estar envolvida nesse processo de mudança, o prato tem que ser convidativo, tem que sentar para comer porque gosta e não por obrigação.

As mães acham que criança gordinha é saudável e isso não é verdade. Às vezes a criança saudável é mais magra e tem um hábito alimentar saudável. Com relação a estética, 50% é genética e o restante você desenvolve pelo hábito alimentar o que pode resultar numa diabetes ou obesidade.

A criança não deve ser proibida de comer bobagens como pipoca e chocolate, mas deve-se oferecer isso apenas no final de semana. Na semana tem que ser alimentação saudável. A chance de adoecer é infinitamente menor.

DIÁRIO DO SERTÃO: O que fazer em um caso que a criança engoliu uma moeda?

Dr. Dilbery: Essa moeda ela não é um problema. Os problemas maiores de ingestão que nós chamamos de corpos estranhos são objetos perfurantes, cortantes, ácidos ou cáusticos porque há a possibilidade de eu perfurar o intestino. Como é um objeto metálico pode-se fazer em raio-X ela vai parecer, caso contrário ela já foi expelida e ninguém percebeu.

DIÁRIO DO SERTÃO: Como tratar uma criança que tem problemas de angiodema hereditária?

Dr. Dilbery: Doença alérgica de caráter hereditário, o principal sintoma é inchaço. Existem algumas medicações para serem feitas de caráter preventivo. Essa doença pode ser desencadeada principalmente por stress. Ela tem como ser controlada, mas não tem cura.

DIÁRIO DO SERTÃO: Criança pode comer tomate, faz mal?

Dr. Dilbery: Tomate na infância evitar antes de um ano de idade. Depois está liberado, com pele, sem pele de todo o jeito.

DIÁRIO DO SERTÃO: Quais os locais e horários de atendimento do Dr. Dilbery?

Dr. Dilbery: Dr. Dilbery atende todos os dias de segunda-feira a sábado, exceto nas quintas-feiras, a partir das 7:30 horas, não temos hora marcada para sair. Fazemos tratamento de pediatria e alergia na Clínica de Dr. Ananias. Fazemos acompanhamento de parto, fazemos tratamento com vacinas, testes alérgicos, vacinas que a unidade básica de saúde não oferece, como por exemplo, meningite, pneumonia, hepatite A, catapora e gripe. Tem meu telefone que fica ligado às 24 horas: 99148181.

DIÁRIO DO SERTÃO

EFEITO IMEDIATO

VÍDEO: Após protesto nas ruas, chefe da PM anuncia ações para combater o crime em São João do Rio do Peixe

AMIGO DE BRÁULIO BESSA

VÍDEO: Poeta que esteve no Encontro com Fátima Bernardes foi o convidado do Xeque-Mate da semana; VEJA!

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa: Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Pentecostal de Jerusalém

DIÁRIO ESPORTIVO

DIÁRIO ESPORTIVO: Tudo que rolou no Campeonato Brasileiro e os preparativos para o Paraibano