header top bar

Raquel Alexandre

section content

A relação entre as emoções e as doenças

27/05/2019 às 10h48 • atualizado em 27/05/2019 às 10h56

Qualquer tipo de doença que tivermos, desde as mais simples até as mais graves são causadas por nós mesmos, através de nossos atos e pensamentos ou pelos excessos materiais, os vícios, pois nada acontece por acaso.

É através das emoções e pensamentos que geramos um desequilíbrio no nosso corpo e é daí que ocorrem as doenças.

Sentimentos ruins como raiva, ódio, tristeza, inveja, desgosto da vida, estresse, podem causar desde uma simples gripe até mesmo um câncer, dependendo do tempo que passamos cultivando tais sentimentos.

A ciência já comprova que o pensamento e as emoções que são dele derivadas, produzem efeitos orgânicos.

Quando temos pensamentos destrutivos e negativos por um longo período, ou seja, mágoa, culpa, remorso, revolta, entre outros, influencia no organismo, causando desequilíbrios.

LEIA TAMBÉM: O inferno são os outros?

Por outro lado, quando desenvolvemos pensamentos saudáveis, de amor, alegria, otimismo, bom humor, quando acreditamos no pensamento positivo e o colocamos em prática temos a ganhar muito mais saúde, afastando ou até mesmo curando ou amenizando as enfermidades.

Pensamento é energia, é um imã que atrai ou repele, depende do que pensarmos, de positivo ou negativo.

Alguns exemplos das relações entre doenças e sentimentos ruins:

  • A raiva pode atingir o fígado causando doenças hepáticas;
  • O ódio e o stress atinge o coração causando infarto;
  • A tristeza prolongada pode causar depressão;
  • A mágoa profunda e prolongada pode causar câncer;
  • Mágoas por períodos curtos podem causar cálculos renais ou biliares;
  • Muitas cobranças de si mesmo e perfeccionismo exagerado podem causar hipertensão;
  • A amargura, o desgosto pela vida pode causar diabetes…
  • Raiva e stress por períodos curtos podem causar gastrite

Quanto mais prolongarmos os sentimentos ruins em nossas vidas, maior é o risco de adquirir enfermidades crônicas ou prolongadas. Mas se o sentimento é passageiro, a doença também será breve em nossa vida. Tudo depende do tempo que você cultiva o sentimento ruim.

Está vendo quantos sentimentos ruins que guardamos frequentemente, quantas doenças podem nos causar que nós mesmos poderíamos evitar? Daí a importância do cultivo da uma vida mais otimista e feliz. Mas será que é possível? Claro que sim. Só depende de nós.

Digamos que eu tenha uma discussão com uma pessoa, e passaram-se uma hora, duas horas eu fico ali num quarto, aborrecida e chorando, dentro de algumas horas pode surgir uma enxaqueca, um queimação forte no estômago, o corpo pode ficar dolorido, sem vontade para fazer nada, tudo isso são efeitos da emoção negativa gerada pela discussão. Agora, imagine isso acontecendo durante dez anos? Quantos efeitos negativos não iremos causar a nós mesmos?

Então vamos procurar viver uma vida melhor, despertando para a espiritualidade, não importa a sua religião, ou mesmo se você não tiver religião, procure perdoar mais, ser mais otimista diante das dificuldades, não fique remoendo o passado, se culpando por algo, pois tudo isso só traz doenças para o corpo. Vamos ser mais cuidadosos com nossas emoções, cultivemos bons pensamentos e só assim nos livraremos de inúmeras enfermidades.

Assista o vídeo da TV Mundo Maior com o psiquiatra Aldeniz Leite, um ótimo debate sobre a relação entre as emoções e as doenças.

Raquel Alexandre

Raquel Alexandre

É redatora do Portal Diário do Sertão e Formada em História pela UFCG de Cajazeiras.

Contato: raquelalexandre30demais@gmail.com

Recomendado para você pelo google

ASSISTA À ENTREVISTA

EXCLUSIVO: Em Cajazeiras, Ciro Gomes fala sobre Lula, PT, Bolsonaro, Ricardo, João Azevêdo e eleições

VÍDEO

Empresário revela convite das oposições de Cajazeiras para disputar a prefeitura e derrotar Zé Aldemir

EVENTO CATÓLICO

VÍDEO: I Adora Cristo é sucesso em Cajazeiras, e coordenador da Missão Éfeso acredita em crescimento

SAÚDE BUCAL

VÍDEO: ortodontista sousense revela se é possível rejeição em casos de implantes dentários

Raquel Alexandre

Raquel Alexandre

É redatora do Portal Diário do Sertão e Formada em História pela UFCG de Cajazeiras.

Contato: raquelalexandre30demais@gmail.com