header top bar

Francisco Inácio

section content

A vida e seus momentos

18/09/2019 às 08h54

Coluna de Francisco Inácio Pita

A vida bem vivida, na maioria das vezes não está relacionada à sua condição financeira e nem a posição social, por que essas atribuições não tem fixação e o pode acabar em pouco tempo. Entre as diversas situações, uma delas me deixou bastante tristeza, foi presenciar um funcionário público e pago com o dinheiro do povo atender mal em sua repartição de trabalho. Chega de tanta falta de respeito, tem funcionário que pensa ser o dono da repartição e começa a perder a capacidade de viver bem, não atende bem quem lhe procura, lembre-se que isso é um crime além de uma grande falta de respeito.

O sistema psicológico de muitas pessoas têm variações constantes, uns com maior intensidade e outras não, a dupla personalidade e falta de separar os problemas de casa com as divergências do trabalho tem tiram a tranquilidade de muitos auxiliares do serviço público e privado, isso perturba o ambiente de trabalho e leva estes funcionários desequilibrados a destruir psicologicamente o bom senso das pessoas que ele atende. Para resolver esse problema, o mau atendente deve admita está doente e deve decidir de imediato uma consulta com um psicólogo.

O tema que estou abordando me faz lembrar algumas situações que aconteceram comigo, não vou citar, mas posso adiantar que não me perturbou simplesmente me deixou mais contaminado pelo amor. Entendi perfeitamente naquela ocasião desconfortável que devemos ter prudência, mas lembrar de que nem todo instante a nossa tolerância está perfeita para suportar adversidades, no momento do acontecido passei a refletir que esta pessoa estava a precisar de ajuda, talvez pela falta de Deus em seu coração ou precisando de um atendimento clínico psicológico. Caso isso não seja providenciado, é necessário um ajuste, tipo uma conversa franca e aberta com essa pessoa que atende mal para se chegar a uma solução, isso deve ser arquitetado e com muito cuidado pelo seu chefe imediato. O que não pode é uma atendente continuar trabalhando estressada e atendendo mal as pessoas que a procura.

O que você entende de perdão? Será que nós sabemos perdoar? Muitos não aceitam o perdão e responde com outra maldade, nunca esquece: enquanto o mal for combatido com o próprio mal estaremos cada vez mais distante do bem. A vida é curta e nunca se esqueça desta frase: amar é sempre melhor do que brigar, é claro que tudo tem o seu limite, mesmo doente de estresse ninguém tem o direito de abusar a todos e ficar por isso o mesmo, lembre que o perdão é coisa divina, mas também tem um limite, e você tem a obrigação de conhecer os limites das outras pessoas, e principalmente em clínicas médicas, hospitais, policlínicas e outros ambientes semelhantes, as pessoas já vêm doentes, muitas vezes com doenças terríveis, necessitando do nosso respeito imediato e adote muita prudência. Nunca deixe de lembrar que devemos primeiro cumprir o nosso dever para depois exigir os seus direitos.

O universo está repleto de pessoas boas e em seu complemente encontramos também pessoas desprovidas da fé cristã, e quem sabe passando por problemas adversos ao seu gosto, apesar de não ser motivo para atender mal aos outros, devemos analisar antes de agir a qualquer adversidade que vier ao nosso encontro, quando pensamos mais de uma vez antes de decidir, temos uma maior possibilidade de acerto. As disparidades do mundo vem de forma constante o que precisamos é administrá-las com tolerância e respeito, cobrando os nossos direitos, mas dando primeiro ao outro o direito que ele tem. E para finalizar, nunca se esqueça de lembrar, a nossa vida depende da convivência com outras pessoas, nenhum ser humano consegue sobreviver isolado, o ser humano é um ser social que tem a necessidade de viver em comunidade, jamais conseguirá viver sem o auxílio de outras pessoas. Nenhuma máquina consegue substituir o carácter, a dedicação, a solidariedade e o amor emanado por uma pessoa de bem. E ponto final.

Francisco Inácio

Francisco Inácio

Francisco Inácio de Lima Pita é Radialista e Professor Licenciado em Ciências e Biologia pela UFPB e UFCG respectivamente. Atualmente é professor da EEEM Joaquim Lacerda Leite e Escola Normal São José na cidade de São José de Piranhas – PB. Participa todos os sábados do Programa Radar 104 da Jatobá FM comentando sobre diversos assuntos

Contato: pita.sjp@ig.com.br

Recomendado para você pelo google

SESSÃO NA CÂMARA

VÍDEO: Em Cajazeiras, coordenador de Diversidade Religiosa na PB fala sobre diálogo e busca por respeito

ASSASSSINATO

VÍDEO! Delegado fala sobre o crime de homicídio que vitimou professor de karatê em Sousa

SEM POLÍTICAS PÚBLICAS

VÍDEO – Líder lamenta ‘desprezo’ dos governos e ‘extinção’ da cultura dos ciganos na cidade de Sousa

VÍDEO

SERTÃO: Empresário sugere vaquinha para “salvar” feira de negócios após prefeitura negar apoio

Francisco Inácio

Francisco Inácio

Francisco Inácio de Lima Pita é Radialista e Professor Licenciado em Ciências e Biologia pela UFPB e UFCG respectivamente. Atualmente é professor da EEEM Joaquim Lacerda Leite e Escola Normal São José na cidade de São José de Piranhas – PB. Participa todos os sábados do Programa Radar 104 da Jatobá FM comentando sobre diversos assuntos

Contato: pita.sjp@ig.com.br