header top bar

Francisco Inácio Pita

section content

As drogas e a possibilidade de acabar no futuro

19/08/2021 às 19h30

Coluna de Francisco Inácio Pita. (Imagem ilustrativa).

Por Francisco Inácio Pita

O uso e a venda de drogas é hoje um dos maiores problemas no universo e com destaque no Brasil, onde este projeto infernal tem ceifado a vida de muitas pessoas envolvidas e até mesmo de outras que não tem nada haver com este meio, muitas vezes criaturas não envolvidas perdem sua vida inocentemente atingida por uma bala perdida. Os grupos de traficantes despontam espaços e na troca de tiros nas ruas não se preocupam com as pessoas que estão ao seu redor.

Observamos muitas pessoas jovens que podiam estar na escola preparando o seu futuro está nas ruas assaltando e cometendo outros delitos, e de forma cruel muitas vezes mata a vítima somente pela maldade, são fatos noticiados em todo Brasil nos canais de rádio e televisão.

Os traficantes criam uma equipe ou várias equipes de para fazer desordem e obter seus lucros à custa da desgraça de pessoas inicialmente inocentes, e começa fornecendo armamento, da certa condição de garantia, paga bem e depois até matam os envolvidos se eles quiserem sair dos grupos. O mundo dos entorpecentes é perigoso e a cada dia tem conseguido se instalar com mais firmeza e adquirir novos adeptos.

O esquema dos vendedores da erva maldita é forte, o setor de inteligência da segurança pública tem certas dificuldades em desvendar pontos de tráfico de drogas. E quando descobrem e aprendem, mas as leis vigentes em nosso país são fracas para traficantes, dificilmente alguém é preso por vários anos, a exemplo de Fernandinho Beira Mar que está condenado a mais de 100 anos, mas quem garante que ele mesmo em uma pressão ela não está comandando através das redes sociais? Perguntar não ofende desde que a pergunta não atinja a dignidade pessoal do indagado. O combate às drogas depende do conjunto de autoridades como: o judiciário e as polícias: civil e militar. As polícias, militar e civil estão trabalhando e muito, mas infelizmente a lei que o poder Judiciário trabalha no momento, não oferece a menor condição de combate.

Em muitos casos a polícia militar prende e apreende menores acusados de infrações e logo na primeira audiência de custódia, o suspeito é liberado e vai responder em liberdade condicional. Muitos assaltantes já praticam um novo assalto no mesmo dia, ou até mesmo antes de chegar em sua casa.

Os nossos legítimos representantes, que receberam a nossa procuração para nos defender, e inclusive são muito bem pagos com o nosso dinheiro, precisam aproveitar o poder que tem e mudar algumas leis, isso a preço de ontem.

Quando eu falo do uso e tráfico de drogas não estou me referindo apenas à maconha e cocaína, quero falar do consumo de bebidas alcoólicas que é bastante acentuada em nosso Brasil de Cabral.

Hoje no Brasil, segundo as pesquisas mais recentes, pelo menos 10% da população são dependentes de álcool, 20% usa abusivamente e 60% usa a bebida e diz que bebe socialmente. Esse resultado é alarmante e segundo os pesquisadores a pandemia produziu um aumento muito maior. Muitas pessoas trabalhavam e só bebiam na folga do final de semana, como pandemia e o isolamento social começaram a beber diariamente fazendo com que o consumo de bebidas aumentasse e a dependência alcoólica aumentasse também.

Muitas pessoas se tornam viciadas porque imaginam que através da bebida esquecem os seus problemas, pelo contrário, conseguem adquirir um novo problema para si mesmo e para a família.

Algum tempo atrás em nossa região foram realizadas diversas audiências públicas promovidas por organizações sociais e filantrópicas, instituições religiosas, representantes do povo para encontrar soluções de combate ao uso e venda de drogas, mas tudo isso, não tem gerado uma saída de combate e nunca se chega a um afastamento definitivo, por que os traficantes são organizados e dispõem de diversos meios informativos, como as redes sociais, e que sabe, até seus membros participaram das audiências públicas, talvez tenha figurões participando das referidas audiências, para depois prevenir seus grupos das ações e ideias debatidas nas audiências públicas pelas autoridades presentes.

Existem casas de recuperação, mas devido ao número muito pequeno desses ambientes, tem retirado poucas pessoas do mundo das drogas. O governo precisa tomar um posicionamento e investir em projetos que levem inicialmente à prevenção. Se todos os gestores das 5570 cidades brasileiras criassem projetos para envolver crianças, jovens e adolescentes, teríamos em um futuro breve um número bem menor de pessoas envolvidas com a maldita das drogas.

Acabar de repente com os grupos de traficantes existentes em nosso país é praticamente impossível, sabemos que as autoridades estão trabalhando, mas não conseguem soluções definitivas em todos os casos.

Uma sugestão para os nossos representantes, tanto o poder legislativo como o executivo. O poder legislativo deve rever as leis e elaborar Projeto de Emenda à Constituição, PEC, que ofereça mais dureza para traficantes, assaltantes e apoio às autoridades constituídas para que possam trabalhar e agir com dureza e com base nas novas leis criadas.

Os poderes executivos: federal, estadual e municipal, tem que criar projetos de prevenção, como a formação de grupos para prática de diversos esportes, estudar música, danças, festivais musicais entre alunos nas escolas com temas relevantes. Seria um investimento inicialmente nas escolas, mas quem sabe até levar para as ruas.

Atualmente o cidadão de bem vive peso ou assustado, se tem um comércio, está na mira dos meliantes a qualquer momento, o brasileiro e principalmente nas cidades maiores vivem a todo instante sujeito a ser roubado ou até morto por assaltantes que não tem a menor piedade de ninguém.

Francisco Inácio Pita

Francisco Inácio Pita

Francisco Inácio de Lima Pita é Radialista e Professor Licenciado em Ciências e Biologia pela UFPB e UFCG respectivamente. Atualmente é professor aposentado por tempo de serviço em sala de aula, escritor dos livros CONCEITOS E SUGESTÕES PARA VIVER BEM O MATRIMÔNIO, AS DROGAS E A RETA FINAL DA VIDA E VARIAÇÕES POÉTICAS e tem outros livros em andamentos, mora atualmente na cidade de São José de Piranhas – PB. Produz e apresenta todos os sábados o Jornal Terra News pela Rádio Terra Nova FM, 88.7 MHz. E-mail: pittadoradio@gmail.com

Contato: pita.sjp@ig.com.br

CRISE

VÍDEO: Padre de Cajazeiras lamenta aumentos constantes e inflação alta: “Nosso povo está caindo de fome”

ORGULHO SERTANEJO

VÍDEO: Disputando com professores de todo Brasil, cajazeirense de escola pública vence prêmio nacional

COMPARANDO

VÍDEO: Fábio Tyrone culpa chuva por buracos em Sousa e diz que Nova York e Paris têm o mesmo problema

PROBLEMA PERSISTE

VÍDEO: Há mais de 2 anos com esgoto estourado, moradores de Sousa pedem socorro: “A gente vai morrer”

Francisco Inácio Pita

Francisco Inácio Pita

Francisco Inácio de Lima Pita é Radialista e Professor Licenciado em Ciências e Biologia pela UFPB e UFCG respectivamente. Atualmente é professor aposentado por tempo de serviço em sala de aula, escritor dos livros CONCEITOS E SUGESTÕES PARA VIVER BEM O MATRIMÔNIO, AS DROGAS E A RETA FINAL DA VIDA E VARIAÇÕES POÉTICAS e tem outros livros em andamentos, mora atualmente na cidade de São José de Piranhas – PB. Produz e apresenta todos os sábados o Jornal Terra News pela Rádio Terra Nova FM, 88.7 MHz. E-mail: pittadoradio@gmail.com

Contato: pita.sjp@ig.com.br

Recomendado pelo Google: