header top bar

Maria do Carmo

section content

Barbaridades do presidente: o caos no Brasil

04/09/2021 às 08h15 • atualizado em 10/09/2021 às 08h17

Presidente Jair Bolsonaro.

Por Maria do Carmo

Um país de regime republicano democrático tem na sua trajetória histórica política a mácula causada por um chefe da nação fugindo das obrigações. O Supremo Tribunal Federal, o Congresso Nacional e o Senado Federal dentro das prerrogativas da Constituição Brasileira vêm salvando a pátria amada. É o grito das representações institucionalizadas que vem pondo os freios na desobediência do presidente às leis que regem o país. Bolsonaro é sem postura a começar pela mesquinhez nos discursos com a ideias estapafúrdias, linguagem chula e sem firmeza no que diz:figura de atitudes causadoras do retrocesso, sublimação, pavor empurrando o país para o buraco.

A maratona da ingovernabilidade foi implantada no Brasil pelo presidente Bolsonaro; se existiam os problema, as dificuldade, naturalmente se esperava do novo governo uma visão administrativa capaz de colocar o país em patamar de evolução;grande passo atrás está sendo dado,se a elite não está satisfeita a população mais pobre está entregue ao azar. Apesar do grande mal causado pela pandemia do coronavírus, contudo começou a descortinar a conduta do então presidente da república, as aberrações foram tão agravantes que surgiu a necessidade da instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito(CPI)onde as tramóias e mentiras mal arquitetadas estão sendo reveladas pelos depoentes.

A exoneração do primeiro ministro da Saúde do governo Bolsonarista o qual não estava aliado ao gabinete paralelo existente no próprio ministério. Este gabinete instruía o presidente a acatar as deliberações inclusive a cloroquina não aceito pelo respectivo ministro. A renúncia do segundo ministro por não concordar com o uso da cloroquina no tratamento da COVID-19 e a ênfase de campanha publicitária com medidas preventivas para conter o vírus. Em contra partida prevalecia o negacionismo do presidente com a piadinha “é só uma gripezinha” e a ocultação na divulgação real do número de vítimas sendo necessária a criação do Consórcio de Veículo da Imprensa.

Aparece Pazuello, fiel e obediente ao instinto cruel do presidente da república; “um manda o outro obedece”. Na CPI tudo ficou transparente: não queria depor porque as mentiras ficariam perceptíveis e as armações caíram por terra, conivente com as orientações do gabinete paralelo, salvação de vidas humanas não estava nos planos de Pazuello. A falta de oxigênio principalmente na Amazônia, hospitais não aparelhados, fechamento de hospitais de campanha, tratamento precoce com a cloroquina e até o vai vem com a compra de vacina e do IFA da Índia. A catástrofe: muitos brasileiros morreram de COVID-19.

O atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, negou o uso de Cloroquina, afirmou que o medicamento pode causar doença do coração e empurrou o caso para a Comissão Nacional de Incorporação e Tecnologia(CONITEC), julgar o mérito do medicamento.A a cloroquina desapareceu, ou está sendo aplicada nos pacientes de COVID? Tem gente curada? Gente escapou com seqüelas? Morreu muita gente? O atual ministro considera as regras de isolamento e afastamento social, mas não convenceu ao próprio presidente a seguir o que o Ministério da Saúde defende. No início da gestão de Queiroga o houve a demora na compra do IFA e a insistência do presidente na aceitação de vacinas na fase incompleta de testes sendo barrado pela ANVISA frustrando assim a intenção maléfica do dirigente da nação brasileira.

Na questão ambiental outra lástima; um país com biomas riquíssimos sendo destruídos por queimadas clandestinas, garimpagem e o desmatamento ilegal: madeiras exportadas para o Reino Unido e Europa e outros países; um verdadeiro contrabando de produtos florestais tendo à frente desta prática ilegal o ministro do meio ambiente, ficando visível nas suas palavras o descaso com as principais questões ambientais “abre as portas para a boiada passar”. A política desonesta contra os representantes do IBAMA:aqueles conivente com a prática criminosa foram beneficiados pelo ministro e os que se posicionaram contra: foram exonerados.

A invasão das terras indígenas: onde uma parte está registrada e outra está nos cartórios dependendo da assinatura do presidente da república. A conciliação torna a terra indígena demarcada cada vez mais invadida, nesta conciliação oficializa os índios abrirem mão de qualquer indenização ou reassentamento. Pela Constituição Brasileira mesmo que os índios quisessem doar a terra seria inconstitucional porque foram homologadas pela lei; marco temporal que está pra ser votado no congresso é mais uma tentativa de desrespeito ao direito de posse do indígena e da própria Constituição Federal. Outro fato agravante: há compradores cobrando do governo o direito de posse das terras indígenas as quais efetuaram a compra; e assim há o conflito entre indígena e não indígena, há também gente simples precisando trabalhar na terra para sobreviver. O estado brasileiro teria que prover, mas não dentro de terras indígenas.

O encaminhamento do pedido do impeachment de ministro do STF foi um adentro no período democrático e uma ameaça do presidente sem precedente, com uma reivindicação ilegal; mais uma derrota do golpismo com arquivamento da petição do impeachment do ministro porque não há indício de crimes. O presidente sempre busca um conflito, fragilizar as instituições federais, não gosta das decisões tomadas pelo STF porque investigam os erros cometidos pelo próprio presidente da república, por isso eis o inconformismo do mesmo.

O elenco dos absurdos provocados por um presidente que não quer governar o Brasil e assim segue:engajamento com milicianos, o proselitismo de policiais da PM entrando na onda de arruaceiro quando deveria ser segurança da população, o calote nos precatórios para aumento do Renda Brasil, inflação, desemprego, os escândalos das “rachadinhas”, a disseminação de falsas interpretações confundindo liberticida com liberdade de expressão.Tanta coisa precisando ser feita para melhorar o Brasil e um presidente preocupado em espalhar a guerra e destruir a paz.Corrupção escancarada!

Professora Maria do Carmo de Santana

Cajazeiras, 03 de Setembro de 2021.

Maria do Carmo

Maria do Carmo

Professora da Rede Estadual de Ensino em Cajazeiras. Licenciatura em Letras pela UFCG CAMPUS Cajazeiras e pós-graduação em psicopedagogia pela FIP.

Contato: profmariadocarmosantana@gmail.com

ACADEMIA CAJAZEIRENSE DE ARTES E LETRAS

VÍDEO: Presidente da ACAL diz que pandemia dificultou a aproximação entre membros da diretoria

RISCOS

VÍDEO: Dois bairros de Cajazeiras estão em alerta de surto de dengue; reportagem mostrou pontos críticos

NOVIDADES

VÍDEO: IFPB de Cajazeiras inicia aulas presenciais e anuncia seletivo com notas dos últimos quatro Enem

OPERAÇÃO ARACATI

VÍDEO: Delegado seccional destaca a quantidade de armas apreendidas em operação na região de Cajazeiras

Maria do Carmo

Maria do Carmo

Professora da Rede Estadual de Ensino em Cajazeiras. Licenciatura em Letras pela UFCG CAMPUS Cajazeiras e pós-graduação em psicopedagogia pela FIP.

Contato: profmariadocarmosantana@gmail.com

Recomendado pelo Google: