header top bar

José Antonio

section content

Esperança em tempos nebulosos

19/04/2020 às 15h01

Esperança em tempos nebulosos

Por José Antônio de Albuquerque

Peste negra. Varíola. Tuberculose. Gripe espanhola. Só o nome destas doenças já causa arrepios e remete a momentos da história em que fomos derrotados pelas epidemias. Elas causaram milhões de mortes, mas hoje estão controladas ou extintas. Mas será que podem voltar? Sim, elas podem voltar, mas com outros nomes, a exemplo do Coronavirus, ou Covid 19, agora em forma de Pandemia. Aí está a relação de 13 doenças que fizeram história e que ainda hoje preocupam toda a humanidade:

Varíola
É considerada uma das primeiras doenças conhecidas pela humanidade. Estudos indicam sua presença em humanos há cerca de 12 mil anos e no faraó Ramsés 5º. Causada por vírus e transmitida pelo ar ou por itens contaminados, tem sintomas parecidos com os da gripe, Ficou ainda mais perigosa com a urbanização: no século 18, matou 400 mil europeus; e no século 20, 300 a 500 milhões no mundo todo. Após campanhas de vacinação, foi considerada erradicada em 1979.

Gripe (sazonal, espanhola, aviária, asiática…)
A gripe matou e continua a matar muita gente, apesar das vacinas. O vírus já foi responsável por várias epidemias ao longo da história, sendo a mais grave a da “gripe espanhola”, com 50 a 100 milhões de mortes entre 1918 e 1919. Surtos de gripe asiática no fim da década de 50 mataram mais de um milhão de pessoas. Em 2009, veio o H1N1, que continua matando muita gente, apesar da vacina.

Peste negra
Uma das doenças mais mortais da humanidade, transmitida por pulgas que habitam roedores. Acredita-se que a devastadora pandemia da Idade Média matou de 75 a 100 milhões de pessoas.

Tuberculose
Também é uma doença bem antiga, com vestígios em corpos de milhares de anos. O maior surto ocorreu nos séculos 19 e 20, quando até 25% das mortes na Europa eram por causa da doença. Em 2014, 1,1 milhão de pessoas morreram em países subdesenvolvidos.

Aids
Desde o início da epidemia, na década de 80, 35 milhões de pessoas morreram por causa do HIV. A Aids ainda é um caso de saúde pública não resolvido e recebe esforços mundiais para combatê-la. A transmissão ocorre por relação sexual e contato com sangue infectado pelo vírus.

Cólera
A cólera é uma doença associada à falta de saneamento básico. Transmitida por água e comida, a bactéria causa diarreia, vômitos, desidratação e falência dos rins. Já matou um número difícil de estimar, mas na casa de milhões. Normalmente, ocorre atrelada a pandemias e teria matado mais de um milhão de pessoas na Rússia entre 1852 e 1860 e mais de 800 mil na Europa, Ásia e África no início do século 20.

Tifo
Na Grécia antiga, matou até 100 mil pessoas em Atenas. No século 17, 10% da população da Alemanha morreu em um surto. Já no século 19 matou na Irlanda na casa de centenas de milhares em um curto período de tempo. No século 20, atingiu a Rússia e deixou 3 milhões de mortos durante a Guerra Civil. A doença também está atrelada à falta de saneamento.

Febre amarela
A febre amarela ainda é uma doença recorrente. Transmitido pelo mosquito Aedes, o vírus infecta 200 mil pessoas por ano e mata cerca de 30 mil, sendo a maioria dos casos na África. No século 19, matou mais de 100 mil pessoas nos EUA. Hoje, há vacina. Araraquara (SP), perdeu 40% da população entre 1892 e 1899″.

Ebola
Apesar do temor em torno da doença e da alta taxa de mortalidade do vírus, ele ainda não se espalhou pelo mundo.

Sarampo
Ainda é muito relevante e já causou 200 milhões de mortes entre 1855 e 2005. Não costuma causar epidemias mortais, mas no Haiti, por exemplo, matou 20% da população em 1850. Na década de 80, foram 2,6 milhões de mortes por ano. A vacinação fez baixar as mortes para 114 mil, em 2014.

Malária
Transmitido por mosquitos e animais, o parasita causador da malária foi responsável por 438 mil mortes em 2015, 90% delas na África. A doença é associada à pobreza.

Raiva
Apesar de rara, é mortal na maioria dos casos. O vírus é transmitido por mordidas ou arranhões de animais infectados (em 99% das vezes por cachorros). A vacinação humana e animal são fundamentais na prevenção.

Poliomielite
A poliomielite não causa mais mortes, mas já foi a responsável por inúmeros casos de paralisia infantil. A doença viral é transmitida entre pessoas, sendo que 90% das infecções são assintomáticas.

Hoje estamos vivenciando um momento muito difícil e estamos sentindo o peso da incerteza e ansiosos sobre o que está acontecendo no mundo e o que isso significa em nossa própria vida.

É uma certeza: estamos na mesma tempestade, mas, todavia a esperança é algo que podemos e devemos nos agarrar nestes tempos nebulosos e de incertezas.

Vamos buscar e lutar por nossa esperança, todas estas incertezas vão passar e a vida vai voltar ao normal, depois desta pandemia.

Eu creio.

José Antonio

José Antonio

Professor Universitário, Diretor Presidente do Sistema Alto Piranhas de Comunicação e Presidente da Associação Comercial de Cajazeiras.

Contato: altopiranhas@uol.com.br

BOM INVERNO

VÍDEO: após fortes chuvas, barreiros enchem e voltam a transbordar na região de Sousa

DIREITO

VÍDEO: Advogado explica se pais e mães podem ser proibidos de visitar os filhos durante a pandemia

AVANÇO DO VÍRUS

VÍDEO: Cajazeiras chega a 59 casos de Covid-19, e secretária de Saúde faz alerta para a Zona Sul

PRECATÓRIOS

VÍDEO: Vereadora culpa atual prefeito por acúmulo de dívidas trabalhistas na Prefeitura de Ipaumirim-CE

José Antonio

José Antonio

Professor Universitário, Diretor Presidente do Sistema Alto Piranhas de Comunicação e Presidente da Associação Comercial de Cajazeiras.

Contato: altopiranhas@uol.com.br

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!