header top bar

Reudesman Lopes

section content

Eu e o Atlético

25/07/2021 às 00h22

Coluna de Reudesman Lopes.

Por Reudesman Lopes

A minha história neste clube se inicia em 1985 quando convidado pelo amigo Taciano Granjeiro, viajamos a capital João Pessoa, ao lado deste e mais o Dr. Higino Pires Ferreira e o seu filho, Cláudio, que dirigiu o carro, até o Palácio da Redenção e na pauta, uma reunião com o Governador Wilson Leite Braga para inserir a cidade de Cajazeiras na “rota” do futebol profissional.

Com o time no campeonato paraibano e, como um profissional da Educação Física me coloquei a disposição do clube para trabalhar como Preparador Físico ao lado de Mozart que fora contratado para ser o treinador.

Fizemos um trabalho maravilhoso e o Atlético a época o Nacional, não decepcionou, combinávamos todos os trabalhos na preparação física e técnica tática do time para estreia no campeonato.

A Federação Paraibana de Futebol anuncia a tabela, o nosso clube jogará em Campina Grande no Presidente Vargas contra o Treze de Hélio Show e companhia, amigos, o galo era um timaço. Comentei como Mozart: “E ai, logo o Treze meu amigo?”. Imediatamente ele respondeu: “Conheço a casa, vamos arrumar o time, temos uma bela equipe”.

A estreia a gente nunca esquece. Chega o dia do jogo, uma quarta feira à noite, vou aquecer o time, local bem apertado, naquele tempo o aquecimento era em um espaço do estacionamento, lembro bem. Time aquecido, o PV lotado, e a conversa de lá era: “Time de matuto”. Mozart me chamou a um canto e falou: “Professor se segurarmos os primeiros quinze minutos, o senhor vai ver uma coisa”. Não sabia que coisa era, mas, passados os minutos, o Nacional jogando uma bola redonda, a galera do galo se desesperou e tome pressão nos seus jogadores. O resultado do jogo? 0 a 0.

Do PV saímos para jantar no Restaurante Manoel da Carne de Sol e, naquela oportunidade, recebíamos o “bicho” pelo resultado, lembrando que ficamos todos em Campina Grande e voltamos no dia seguinte, um luxo.

Em 2001, Gutemberg me chama e diz: “O Atlético está sem recursos para contratar um treinador e um preparador físico e você é o escolhido para assumir o time”. Na verdade era uma honra para quem tanto ama o clube, mas, veio logo aquela história de: ”Santo de casa não faz milagre”.

Assumimos o time com a missão de jogar com os “meninos de casa” e, acho que cumpri o meu papel de ajudar. A partir deste momento comecei a pensar e a ver o Atlético de forma ainda mais diferenciada, entra em campo neste momento o “guardião da memória e da história do Atlético” e assim estamos caminhando com muitas dificuldades, mas, com um amor profundo.

Reudesman Lopes

Reudesman Lopes

Professor da UFCG de Educação Física, Comentarista Esportivo da Rádio Alto Piranhas e Colunista Esportivo do Jornal Gazeta do Alto Piranhas

Contato: reudesman@bol.com.br

EM NOVA YORK

VÍDEO: Radialista de Cajazeiras chama Bolsonaro de louco e diz que presidente envergonha o Brasil na ONU

BANDIDAGEM

VÍDEO: Dupla realiza assalto em Coremas e um deles é preso planejando outro roubo na região de Pombal

A CASA CAIU

VÍDEO: Terceira pessoa é presa na Operação Pega Ladrão, da Polícia Civil, em Cajazeiras

ASSASSINATO

VÍDEO: Homem é morto com vários disparos de arma de fogo em via pública de cidade da região de Pombal

Reudesman Lopes

Reudesman Lopes

Professor da UFCG de Educação Física, Comentarista Esportivo da Rádio Alto Piranhas e Colunista Esportivo do Jornal Gazeta do Alto Piranhas

Contato: reudesman@bol.com.br

Recomendado pelo Google: