header top bar

section content

Convive com algum deficiente? Conheça algumas opções de lazer com espaços acessíveis

Segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 45 milhões de pessoas têm algum tipo de deficiência.

Por Link Building Assistant

28/06/2019 às 13h46 • atualizado em 28/06/2019 às 14h36

Conheça algumas opções de lazer com espaços acessíveis

Segundo dados das Organizações das Nações Unidas (ONU), cerca de 1 bilhão da população mundial possui algum tipo de deficiência, seja de ordem física, motora ou visual. Ainda de acordo com a ONU, 80% dos deficientes vivem em países que estão em desenvolvimento, como o Brasil.

Segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 45 milhões de pessoas têm algum tipo de deficiência. Com números tão suntuosos, é cada vez mais comum ver diversos empreendimentos criando espaços inclusivos. São hotéis, pousadas, resorts e parques com acessibilidade.

Hoje nós vamos falar um pouco mais sobre a importância da inclusão em espaços de entretenimento.

Os deficientes também se divertem

Aquela imagem dos deficientes reclusos, que nunca deixam o ambiente doméstico, entristecidos e dependentes dos outros está cada vez mais no passado. Hoje em dia é cada vez mais comum vermos pessoas com necessidades especiais levando uma vida bastante autônoma e independente.

E é muito importante ressaltar que os deficientes querem ter uma vida como a das pessoas que não possuem nenhum tipo de limitação visual, motora ou física. Ou seja, eles querem se locomover com facilidade e qualidade pelas cidades. Também querem boas condições de trabalho, além, é claro, da possibilidade de se divertirem.

E isso é muito importante de ser enfatizado. É preciso conscientizar cada vez mais a sociedade de que essas pessoas também procuram lazer.

Elas também vão a jogos de futebol, ao cinema. Pessoas com limitações visuais, motoras e físicas também pegam aviões e para relaxar em um bom resort, também visitam museus.

Acessibilidade nos transportes aéreos

Para viajar médias e grandes distâncias, o modal preferido das pessoas costuma ser o avião. E as diversas companhias aéreas que operam no país precisam estar em conformidade com as normas brasileiras de acessibilidade.

Nos voos, os principais cuidados oferecidos para as pessoas com necessidades especiais são a assistência no embarque e no desembarque, além do armazenamento de bagagens. No desembarque e no portão de saída, os profissionais também oferecem apoio.

É válido lembrar que os passageiros com necessidades especiais não podem ser cobrados a mais por essas assistências.

No caso das cadeiras de rodas, nem sempre as empresas permitem que elas sejam transportadas durante o taxiamento. Ou seja, nem sempre é possível levá-las a bordo. Nestas situações, as companhias devem oferecer cadeiras de rodas próprias para o trajeto.

Acessibilidade nas arenas esportivas

As arenas esportivas se consolidaram no Brasil depois da realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas. Elas são multiuso e, por isso, podem ser aproveitadas para eventos esportivos, como jogos de futebol, mas também para eventos de lazer, como shows e festivais de música.

Geralmente, nestes locais há espaços específicos destinados para as pessoas com necessidades especiais, especificamente os deficientes físicos. Para a acomodação deles, é disponibilizado um espaço maior, além de elevadores e banheiros completamente adaptados.

Deficientes visuais contam com informações táteis no chão. Embora pareçam um detalhe para quem enxerga, para os cegos esta é uma informação muito importante. É com elas que eles se orientam no sentido de saber quando a calçada começa ou termina, por exemplo.

Cinemas com lugares acessíveis

Outro espaço de lazer que tem se tornado cada vez mais inclusivo no Brasil são os cinemas. Os lugares reservados para os cadeirantes já é tradicional. Mas você sabia que o Rio de Janeiro, por exemplo, inaugurou uma sala totalmente adaptada para os deficientes visuais e auditivos?

Entre as inovações estão o uso de audiodescrição nos fones de ouvido (imprescindível para os cegos compreenderem bem as cenas), além de tradução em libras.

No interior de São Paulo, por exemplo, um grupo se reúne para que crianças autistas possam assistir a alguns filmes. Para elas a sala também deve ser adaptada, principalmente quanto ao quesito iluminação.

Hotelaria também deve atender os deficientes

No Brasil, os empreendimentos hoteleiros, como pousadas, resorts e hotéis também precisam oferecer espaços acessíveis. E não bastam apenas oferecer rampas e elevadores. O tamanhos dos quartos e dos banheiros também devem ser adequados, por exemplo, para a mobilidade dos cadeirantes.

É importante notar que as áreas de lazer, como piscinas e spas, também precisam estar adaptadas para o livre trânsito de pessoas com quaisquer tipos de déficits sejam eles motores ou visuais.

É válido notar que nenhuma empresa pode cobrar a mais por serviços destinados aos deficientes. Além disso, para eventos nas arenas e para o cinema, eles têm direito à meia entrada.

Viu só como é muito possível levá-los para se divertir?

Recomendado para você pelo google

REFORMA AGRÁRIA

VÍDEO: Coordenadora da CPT Sertão afirma que terras são um direito dos camponeses e não do agronegócio

CLIMA IDEAL

VÍDEO: Prefeito revela interesse de empresas em instalar parque de energia solar em Monte Horebe

INTERVENÇÃO

VÍDEO: Diretor da SCTrans fala sobre planos para dar segurança aos pedestres em frente à São João Bosco

"QUER ENRICAR AINDA MAIS"

VÍDEO: Pastor de Cajazeiras diz que famoso bispo está vendendo imagens de deusa egípcia na igreja