header top bar

section content

Comando do 6º BPM presta entrevista coletiva e fala do assassinato do oficial

Após a conclusão do relatório inicial do crime, o processo que julgará o policial pelo crime cometido, estará a cargo da Junta de Juizes Militar, comandada pelo Juiz Ricardo Vital.

Por

12/06/2009 às 13h52

Na manhã desta sexta-feira(12), o comando do 6º BPM falou oficialmente pela primeira vez sobre a tragédia que chocou todo o estado da Paraíba, onde o subcomandante Major Albuquerque foi brutalmente assassinado pelo sargento Valdiram Ferreira, com 6 tiros, dentro do alojamento do Batalhão.

O Major Ronildo, ex-subcomandante do 6º BPM foi nomeado pelo Comando Geral da PM, como relator do auto de flagrante e prisão do sargento, como também dos trabalhos periciais, tendo o prazo de cinco dias para entrega deste relatório a auditoria da Policia Militar.

Segundo o Major Ronildo, por determinação do Juiz Militar Dr. Ricardo Vital e do Comando Geral da Policia da Paraíba, o sargento Valdiram, foi recambiado por volta de 01h00 da manhã, por duas viaturas do Choque da cidade de Patos para o 2º Batalhão, na em Campina Grande para garantir a integridade física do acusado, tendo em vista a forma brutal do crime, que chocou toda a região.

Após a conclusão do relatório inicial do crime, o processo que julgará o policial, pelo crime cometido estará a cargo da Junta de Juizes Militar , comandada pelo Juiz Ricardo Vital , que passará a comandar as investigações.

Os primeiros relatos, constam que a vitima encontrava-se dormindo nos alojamentos do 6º BPM quando foi alvejado por seis tiros de revolver calibre 38, pertencente a Policia Militar da Paraíba, atingindo a face, torax e abdômen do Major Albuquerque.

O corpo do subcomandante foi reconduzido para o IML da cidade de Campina Grande para necropsia e em seguida para o IML de João Pessoa, onde foi periciado por médicos legistas para garantir tecnicamente todos os elementos necessários para a peça processual.

O Sargento Valdiram Ferreira assumia atualmente o posto de instrutor da Divisão de
Armamento e Tiro do Núcleo de Formação de Soldados do 6º BPM e segundo as informações era um policial exemplar e de boa convivência, dentro da corporação. Conforme o Major que coordena as investigações iniciais, o sargento Valdiram se negou a prestar depoimento, como também a se submeter a exames de sangue para comprovar se o mesmo teria ingerido bebida alcoólica.

O Governador José Maranhão ao tomar conhecimento do ocorrido determinou ao comando geral da PM, a apuração do caso, como também a assistência as famílias. Segundo a assessoria do governador, Maranhão visitou na manhã desta sexta-feira, o velório do subcomandante na Central de Velório Rosa de Sharon na Capital do estado.

Com a vacância do cargo, o Comando Geral e o comando do 6º BPM, determinou a criação de uma junta formada pelos oficiais Major Ronildo, Major Marcelo e Major Cunha para comandarem as ações interinamente durante as festividades juninas em toda a região.

Dois ônibus conduzindo oficiais e policiais pertencentes ao 6º BPM, se deslocaram para a capital do estado onde participarão das ultimas homenagens ao Major Albuquerque que por várias vezes assumiu o subcomando do 6º BPM. O sepultamento ocorrerá na capital às 16h00.

JOSELITO FEITOSA
Da Redação do Diário do Sertão

Tags:

Recomendado para você pelo google

POSSÍVEL CANDIDATO

VÍDEO: Ex-prefeito de Cachoeira dos Índios revela quais os ‘vices dos sonhos’ para sua chapa em 2020

AVENIDA LOTADA

VÍDEO: Show de comunidade católica famosa em todo o Brasil reúne multidão em São José de Piranhas

PREFEITO DE MONTE HOREBE

VÍDEO: Marcos Eron admite querer a reeleição, nega distanciamento da vice e manda recado para oposição

FENÔMENO

VÍDEO: Menino cajazeirense impressiona com habilidade no teclado e por ter fabricado instrumento