header top bar

section content

Promotora de Conceição proíbe venda de medicamentos em Supermercados

A Promotora de Justiça da Comarca de Conceição Carmem Eleonora da Silva Perazzo baixou uma recomendação proibindo a venda de medicamentos em supermercados, mercearias, mercadinhos, bares e outros estabelecimentos que não tenham autorização para comercializar esse tipo de produto. Para que a recomendação seja cumprida, ela requisitou à Agevisa e às Secretarias Municipais de Vigilância […]

Por

10/04/2008 às 23h45

A Promotora de Justiça da Comarca de Conceição Carmem Eleonora da Silva Perazzo baixou uma recomendação proibindo a venda de medicamentos em supermercados, mercearias, mercadinhos, bares e outros estabelecimentos que não tenham autorização para comercializar esse tipo de produto. Para que a recomendação seja cumprida, ela requisitou à Agevisa e às Secretarias Municipais de Vigilância Sanitária dos Municípios de Conceição, Ibiara, Santana de Mangueira e Santa Inês uma inspeção e fiscalização ostensiva nos estabelecimentos, inclusive com o recolhimento dos produtos comercializados ilegalmente.

A recomendação entrará em vigor a partir do dia 14 de abril, depois que todos os estabelecimentos comerciais forem notificados sobre a recomendação. Carmem Eleonora, que responde pela Promotoria de Defesa da Saúde em Conceição, determinou ainda a remessa das cópias da recomendação aos prefeitos das cidades pertencentes à Comarca, bem como aos presidentes de Câmaras e meios de comunicação, para garantir a plena divulgação de sua decisão.

A recomendação foi elaborada a partir de solicitação da Câmara Municipal de Conceição ao Ministério Público Estadual para que fosse realizada uma fiscalização sobre a venda de remédios indiscriminada em todo o comercio da cidade. Ao fazer a recomendação, a Promotora de Defesa da Saúde Carmem Eleonora observou que a Lei 5.991/73 determina que o comércio de drogas, medicamentos e de insumos farmacêuticos é privativo de farmácias, drogarias, posto de medicamento e unidade volante e dispensário de medicamentos.

Observou, ainda, que o Superior Tribunal de Justiça já decidiu que os supermercados brasileiros não podem vender remédios, mesmo os que dispensam receita médica, sendo estendida esta decisão aos estabelecimentos congêneres, como mercadinhos, mercearias e outros.

Os estabelecimentos comerciais que estiverem ferindo a legislação poderão sofrer sanções que vão desde o pagamento de multas que variam de R$ 2 mil a R$ 200 mil, a advertências, apreensão do produto, interdição do estabelecimento e até cancelamento do alvará de licenciamento de estabelecimento.

Fonte: Folha do Sertão

Tags:
SEIS CIDADES

VÍDEO: Candidatos da Paraíba e do Ceará concorrem em mais uma eliminatória do Talentos do Sertão 2022

SEPARADOS À FORÇA

VÍDEO: Família se emociona em Cajazeiras no reencontro de mãe e filho que não se viam há mais de 50 anos

AO LADO DO PRESIDENTE

VÍDEO: Cícero Lucena ouve sonora vaia de apoiadores de Bolsonaro e tem dificuldade para discursar

DOGMAS

VÍDEO: Padre explica por que Igreja Católica Brasileira não celebra casamento de pessoas do mesmo sexo

Recomendado pelo Google: