header top bar

section content

Motorista do Ceará que saiu de casa com oito anos de idade é reconhecido por familiares da Paraíba

Carlos da Silva fugiu de casa com oito anos de idade porque era maltratado pelo pai

Por Luiz Adriano

30/11/2020 às 13h08 • atualizado em 30/11/2020 às 13h14

Carlos da Silva fugiu de casa em Santa Rita, na Grande João Pessoa, quando ainda era criança (Foto: Arquivo pessoal)

O motorista Carlos da Silva, residente no Ceará, possivelmente encontrou sua família paraibana que há 27 anos não tinha contato. Ele fugiu de casa quando tinha apenas oito anos de idade porque era agredido e torturado pelo pai.
Ele diz que entrou em um ônibus, dormiu e foi parar no Ceará, onde mora até hoje. Na época, sua mãe, Josiane da Silva, de 49 anos, tentou de diversas maneiras encontrar seu filho, mas não obteve êxito.

Após a descoberta, a família paraibana diz que, se for necessário, está disposta a fazer exame de DNA. Já o rapaz diz não ter dúvidas, de que agora encontrou sua verdadeira mãe e familiares. O G1 de Fortaleza auxiliou nas buscas para que Carlos chegasse ao encontro de seus parentes.

VEJA TAMBÉM

Jovem dado como desaparecido em PE veio para Cajazeiras encontrar namorada e foi localizado pela PRF

A sr.ª Josiane, mãe do garoto, falou o quanto se preocupou, mas segundo ela, nunca perdeu a esperança: “Eu procurei tanto, saía pelas ruas com foto, mostrando meu filho, se alguém tinha visto, e ninguém sabia. Nunca pensei que meu filho estivesse morto. Sempre achei que ele estava vivo em algum lugar. Mãe sente”, disse.

O G1 de Fortaleza havia publicado uma matéria em que Carlos foi enganado por três dias por um homem que dizia ser seu irmão. A publicação ganhou repercussão e chegou até Josinaldo da Silva, irmão de Josiane, tio de Carlos.
“Minha irmã, acharam seu filho”, disse Josinaldo a sua irmã.

A foto da matéria mostrava o mesmo menino do álbum de família de casa. “Carlinhos fugiu num dia em que seu pai queria bater, no dia seguinte foi visto pelas ruas de Santa Rita, e depois nunca mais se teve notícia”, contou.

O motorista fez buscas pela família e, com ajuda de amigos, espalhou panfletos com “procuro minha mãe”, e após ser engando pelo indivíduo que dizia ser seu irmão, o caso ganhou mais apoio popular.

Patrícia Vieira, esposa do tio Josinaldo da Silva, leu a matéria pelo celular, e ao ver a foto mostrou para Josiane, a mãe que perdeu o filho para o mundo.

Josiane lembra que, quando o filho sumiu, estava em poder do pai, que tinha tomado as crianças dela. A mulher perdeu o emprego e foi viver nas ruas de Santa Rita.

Ela conta a história com emoção e comemora essa conquista: “Primeiro, ele tomou os dois meninos, o Carlos e o Diego. E eu fiquei com Dielma e Crislene. Depois ele veio tomar as meninas, que se eu não desse me matava. Depois eu consegui eles de volta. E eu dizia que antes de morrer eu encontrava meu filho. E Deus me deu essa alegria”, lembrou Josiane.

CEARÁ 1

DIRETO AO PONTO

VÍDEO: “Será uma grande festa da democracia”, diz advogado sobre debates no Sistema Diário do Sertão

NA TV DIÁRIO DO SERTÃO

VÍDEO: Rádio Liberdade FM de Pombal firma parceria para transmitir debate com candidatos ao governo

OPINIÃO

VÍDEO: Jornalista e ativista político acreditam que Lula encara debates e que Bolsonaro foge do embate

SECRETÁRIO FOI AO LOCAL

VÍDEO: Moradores de comunidade rural em Santa Cruz denunciam situação precária em cemitério

Recomendado pelo Google: