header top bar

section content

Monte Horebe comemora 48 anos neste sábado

O município de Monte Horebe vive neste sábado(5), um dia importante, quando comemora 48 anos de emancipação política. Para a ocasião, o prefeito Erivan Guarita e toda a sua equipe administrativa elaboraram uma programação especial que terá início às 5h00 com alvorada festiva com a Banda de Música Princesa Serrana pelas principais ruas da cidade. […]

Por

04/12/2009 às 19h18

O município de Monte Horebe vive neste sábado(5), um dia importante, quando comemora 48 anos de emancipação política. Para a ocasião, o prefeito Erivan Guarita e toda a sua equipe administrativa elaboraram uma programação especial que terá início às 5h00 com alvorada festiva com a Banda de Música Princesa Serrana pelas principais ruas da cidade.

A partir das 8h00, um Culto em Ação de Graças será realizado na Igreja Evangélica e às 10h00 haverá Missa em Ação de Graças na Igreja Matriz de São Francisco.

À tarde, a partir das 16h00, terá início o desfile cívico-militar, com a participação das escolas da rede municipal de ensino, destacando o teme: “Monte Horebe: é bom viver aqui!”, percorrendo as ruas centrais.

À noite, a partir das 22h00 é a vez dos horebenses receberem os visitantes de toda a região para o mega-show da banda de forró Mulher Chorona, que vai cantar seus maiores sucessos no Paço Municipal.

“É com imensa satisfação que celebramos os 48 anos de emancipação política do nosso município, trazendo ações e serviços para a população e recepcionando os nossos irmãos sertanejos numa noite festiva”, destacou Erivan Guarita, prefeito de Monte Horebe.

CRISTIANO MOURA

Tags:
MUITO ESTRAGO

VÍDEOS: Chuva com vendaval causa destruição de prédios em Cajazeiras e Sousa e assusta moradores

DE 22 A 27 DE JANEIRO

VÍDEO: Teatro Ica completa 34 anos em Cajazeiras com extensa e diversificada programação cultural

DE 2017 PARA ESTE ANO

VÍDEO: São José de Piranhas tem aumento alarmante de homicídios em 2018; confira balanço da PM na região

VIXE!

VÍDEO: Vidente detalha futuro da imprensa de Cajazeiras e prevê mortes: “Não chega às festas juninas”