header top bar

section content

Justiça propõe desapropriação do Jatobá Clube

O Ministério Público de São José de Piranhas, através do Dr. Walfredo Alves Teixeira, convocou o prefeito Domingos Neto e o ex-presidente do Jatobá Clube José Edmar Alves para uma audiência na próxima terça-feira, dia 1° de dezembro, às 7h00, para discutir sobre a desapropriação da ex-casa de shows. Por falta de segurança nas estruturas […]

Por

27/11/2009 às 08h58

O Ministério Público de São José de Piranhas, através do Dr. Walfredo Alves Teixeira, convocou o prefeito Domingos Neto e o ex-presidente do Jatobá Clube José Edmar Alves para uma audiência na próxima terça-feira, dia 1° de dezembro, às 7h00, para discutir sobre a desapropriação da ex-casa de shows.

Por falta de segurança nas estruturas do prédio, a justiça interditou o imóvel há mais de dois anos. Alegando falta de recursos a direção do clube não tomou nenhuma providência o que levou o Ministério Público a determinar que a prefeitura desaproprie o prédio para ceder lugar a imóvel funcional.

Segundo Edmar, com a desapropriação, o imóvel (foto) deverá ir a leilão o que pode despertar interesse de empresários locais e da região, já que o antigo prédio se localiza no centro comercial da cidade. Ele informou ainda que a área total mede 20×40 m e tem um valor estimado em R$ 500 mi.

Fundado em 1° de maio de 1944, o Jatobá Clube conta com 400 sócios e 220 proprietários. Alguns sócios lembram emocionados que grandes nomes da música brasileira já passaram por lá, a exemplo de Luiz Gonzaga, Genival Santos e grandes bandas da jovem guarda.

Alex Gonçalves
Radar SErtanejo

Tags:
MUITO ESTRAGO

VÍDEOS: Chuva com vendaval causa destruição de prédios em Cajazeiras e Sousa e assusta moradores

DE 22 A 27 DE JANEIRO

VÍDEO: Teatro Ica completa 34 anos em Cajazeiras com extensa e diversificada programação cultural

DE 2017 PARA ESTE ANO

VÍDEO: São José de Piranhas tem aumento alarmante de homicídios em 2018; confira balanço da PM na região

VIXE!

VÍDEO: Vidente detalha futuro da imprensa de Cajazeiras e prevê mortes: “Não chega às festas juninas”