header top bar

string(13) "diario-sertao"

section content

Sucesso: Após posar nua, cajazeirense leva importante prêmio no 48º Festival de Brasília

O prêmio especial do júri foi para o longa Fome, de Cristiano Burlan, que venceu também na categoria de melhor som.

Por

23/09/2015 às 12h02

Big Jato, de Cláudio Assis, recebeu o prêmio de melhor Filme (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agê

Depois de posar nua em ensaio improvisado, a cajazeirense Marcélia Cartaxo foi premiada nessa terça-feira (23) com o título de melhor atriz. O filme Big Jato, de Cláudio Assis, foi o grande vencedor do 48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Ele ganhou o Troféu Candango em quatro das cinco principais categorias: o de melhor filme e o melhor ator, dado a Matheus Nachtergaele. O longa levou ainda os troféus pelo roteiro e pela trilha sonora.

Atriz cajazeirense é fotografada totalmente nua em quarto de hotel em Brasília

O prêmio especial do júri foi para o longa Fome, de Cristiano Burlan, que venceu também na categoria de melhor som. O Prêmio Candango de melhor montagem ficou com Para minha Amada Morta, de Aly Muritiba. O filme venceu ainda na categoria de melhor direção, direção de arte e de fotografia e conquistou os prêmios de atriz e ator coadjuvante, pelos trabalhos de Giuly Blancato e de Lourinelson Vladmir  O vencedor do júri popular foi  A Família Dionti, dirigido por Alan Minas.

Quintal, de André Novais, venceu na categoria de curta ou média metragem. O filme também conquistou os prêmios de roteiro e de melhor atriz, concedido a Maria José Novais. Rapsódia para o Homem Negro foi vitorioso na trilha sonora; Tarântula, na direção de arte; Comman Action, pelo melhor som. Ainda entre os curtas e médias, A Parte do Inferno levou o prêmio de melhor fotografia.

Segundo o coordenador geral do festival, Sérgio Fidalgo, mais uma vez o público de Brasília soube prestigiar o evento. “A cada ano o festival sempre traz novidades, os filmes da mostra dão a cara do que está se fazendo em termos de audiovisual nacionalmente no ano”, disse. Sérgio destacou que este ano a diversidade, tanto de gêneros quanto de origem dos filmes, foi uma marca do festival.

Grande vencedor da noite, o pernambucano Cláudio Assis estava muito emocionado e disse que o seu filme é “plugado no social”. “Um filme de baixo orçamento, feito em três semanas, numa montanha”, afirmou o diretor de Big Jato em entrevista à imprensa, após a cerimônia de entrega dos prêmios.

A cerimônia de encerramento do festival teve também momentos de vaias, uma delas para a deputada Celina Leão (PDT). Ao entregar o Troféu Câmara Legislativa do Distrito Federal ao diretor John Howard pelo filme Santoro – O Homem e Sua Música, Celina, que preside a Câmara Legislativa, foi vaiada pelo público que lotou o Cine Brasília.

Confira a lista completa dos vencedores:
a) Prêmios oficiais
Filme de longa metragem
Melhor Filme de longa metragem – R$ 100 mil Big Jato, de Cláudio Assis
Melhor Direção – R$ 20 mil Aly Muritiba, pelo filme Para Minha Amada Morta
Melhor Ator – R$ 10 mil Matheus Nachtergaele, pelo filme Big Jato
Melhor Atriz – R$ 10 mil Marcélia Cartaxo, pelo filme Big Jato
Melhor Ator Coadjuvante – R$ 5 mil Lourinelson Vladimir, por Para Minha Amada Morta
Melhor Atriz Coadjuvante – R$ 5 mil Giuli Biancato, por Para Minha Amada Morta
Melhor Roteiro – R$ 10 mil Hilton Lacerda e Ana Carolina Francisco, por Big Jato
Melhor Fotografia – R$ 10 mil Pablo Baião, pelo filme Para Minha Amada Morta
Melhor Direção de Arte – R$ 10 mil Mônica Palazzo pelo filme Para Minha Amada Morta
Melhor Trilha Sonora – R$ 10 mil DJ Dolores, pelo filme Big Jato
Melhor Som – R$ 10 mil Flávio Gonçalves e Cláudio Bessa, pelo filme Fome
Melhor Montagem – R$ 10 mil João Menna Barreto, por Para Minha Amada Morta
Filme de curta ou média metragem
Melhor Filme de curta ou média metragem – R$ 30 mil Quintal, de André Novais
Melhor Direção – R$ 10 mil Nathália Tereza, por A Outra Margem
Melhor Ator – R$ 5 mil João Campos, por Cidade Nova
Melhor Atriz – R$ 5 mil Maria José Novais, por Quintal
Melhor Roteiro – R$ 5 mil André Novais, por Quintal
Melhor Fotografia – R$ 5 mil Leonardo Feliciano, por ÀParte do Inferno
Melhor Direção de Arte – R$ 5 mil Fabiola Bonofiglio,  Tarântula
Melhor Trilha Sonora – R$ R$ 5 mil  Rapsódia Para o Homem Negro
Melhor Som – R$ 5 mil Command Action
Melhor Montagem – R$ 5 mil Afonso é uma Brazza

b) Prêmio do Júri Popular – para os filmes escolhidos pelo público, por meio de votação em cédula própria:
Melhor Filme de longa metragem – R$ 40 mil  A Família Dionti, de Alan Minas
Melhor Filme de curta ou média metragem – R$ 10 mil Afonso é uma Brazza, de Naji Sidki e James Gama
Prêmio Especial do Júri de média/curta História de uma Pena, de Leonardo Mouramateus
Prêmio Especial do Júri de longa vai para Jean-Claude Bernadet, por Fome

Outros prêmios
Troféu Câmara Legislativa do Distrito Federal – Júri Oficial
Melhor filme de longa metragem: R$ 80 mil Santoro – O Homem e Sua Música
Melhor filme de curta metragem: R$ 30 mil A Culpa é da Foto
Melhor direção: R$ 6 mil John Howard, de Santoro – O Homem e sua Música
Melhor ator: R$ 6 mil Davi Galdeano, de O Outro Lado do Paraíso
Melhor atriz: R$ 6 mil Simone Iliescu
Melhor roteiro: R$ 6 mil O Outro Lado do Paraíso
Melhor fotografia: R$ 6 mil O Escuro do Medo
Melhor montagem: R$ 6 mil Armando Bulcão, de Alma Palavra Alma
Melhor direção de arte: R$ 6 mil O Outro Lado do Paraíso
Melhor edição de som: R$ 6 mil O Outro Lado do Paraíso
Melhor captação de som direto: R$ 6 mil O Outro Lado do Paraíso
Melhor trilha sonora: R$ 6 mil Santoro – O Homem e sua Música
Troféu Câmara Legislativa do Distrito Federal – Júri Popular
Melhor filme de longa metragem: R$ 20 mil O Outro Lado do Paraíso
Melhor filme de curta metragem: R$ 10 mil A Culpa é da Foto

Prêmio ABCV – Associação Brasiliense de Cinema e Vídeo
Conferido pela ABCV – Associação Brasiliense de Cinema e Vídeo a profissional do audiovisual do Distrito Federal foi para o ator Gê Martu

Prêmio Canal Brasil
Cessão de um Prêmio de Aquisição no valor de R$ 15 mil e o troféu Canal Brasil, ao melhor filme de curta metragem selecionado pelo júri Canal Brasil:  Rapsódia para o Homem Negro

Prêmio Exibição TV Brasil
O título premiado integrará a programação da emissora.
Melhor filme de longa metragem – R$ 50 mil – foi para Santoro – O Homem e sua Música

Prêmio Marco Antônio Guimarães
Conferido pelo Centro de Pesquisadores do Cinema Brasileiro para o filme que melhor utilizar material de pesquisa cinematográfica brasileira: foi para Santoro – O Homem e sua Música

Prêmio Abraccine
O Prêmio da Crítica será atribuído e organizado, no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, pela Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema). 
Melhor filme de longa metragem: Para Minha Amada Morta
Melhor filme de curta metragem: A Outra Margem

Prêmio Saruê
Conferido pela equipe de cultura do jornal Correio Braziliense, foi para o média Copyleft

DIÁRIO DO SERTÃO com Aécio Amado

Tags:
BLACK FIADO

VÍDEO: Conheça a versão mais popular da Black Friday que agita o comércio de Cajazeiras durante 30 dias

DESTAQUES DA SEMANA

VÍDEO: Repercussão da entrevista de José Aldemir encabeça as polêmicas do Direto ao Ponto desta terça

PROGRAMA DE MÚSICA

VÍDEO: Confira as novidades que vêm aí na nova temporada do Acústico Diário com cantor cajazeirense

VÍDEO

Secretário responde a sindicato e diz que acusações contra prefeito de Cajazeiras podem parar na Justiça