header top bar

section content

Sine da Paraíba oferece oportunidades de emprego em cinco municípios a partir da próxima quarta-feira

Em virtude do Carnaval 2019, nos dias 4 e 5 de março será ponto facultativo nas repartições estaduais e no dia 6 o expediente tem início às 12h

Por Secom PB

02/03/2019 às 17h27

Sine-PB disponibiliza 56 oportunidades de emprego em cinco municípios

O Sistema Nacional de Empregos na Paraíba (Sine-PB) disponibiliza, a partir da próxima quarta-feira (6), 56 oportunidades de emprego em cinco municípios paraibanos: João Pessoa, Campina Grande, Bayeux, Cabedelo e Guarabira. Em virtude do Carnaval 2019, nos dias 4 e 5 de março será ponto facultativo nas repartições estaduais e no dia 6 o expediente tem início às 12h.

Em João Pessoa, são oferecidas 34 vagas, sendo 10 para operador de Telemarketing Receptivo. Na capital, ainda há oportunidades para auxiliar administrativo, churrasqueiro, costureira em geral, técnico de enfermagem, marceneiro, soldador, entre outros.

VEJA MAIS: Concurso do IFPB para Técnico-Administrativo prorroga data de inscrição até 1º de abril

Já no município de Campina Grande há 14 vagas de emprego, com oportunidades para garçom, vendedor pracista, cozinheiro de restaurante, costureira, gestor de manutenção e técnico de vendas.

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones 3218-6619, 3218-6618 ou 3218-6624, em João Pessoa. Na Capital, o Sine estadual fica localizado na rua: Duque de Caxias, 305, no Centro (próximo ao Shopping Terceirão). Já em Campina Grande, as informações podem ser obtidas pelo telefone 3310-9412.

Confira as vagas

Recomendado para você pelo google

ELITISMO?

VÍDEO: Escolas federais têm segurança, mas as outras são ‘destratadas’, afirma diretor em Cajazeiras

FUTEBOL

VÍDEO: Diário Esportivo fala sobre o Festival de Prêmios do Atlético e do clássico contra o Sousa

MASSACRE DE SUZANO

VÍDEO: Psicóloga fala sobre jogos eletrônicos e ausência da família influenciando tragédias com jovens

O CAMINHO

VÍDEO: Em Pombal, Frei Gilson declara que a Igreja Católica precisa pregar um catolicismo praticante