header top bar

section content

Idealizador de importantes programas de Rádio tradicional de Cajazeiras revela mágoas.

O empresário lembrou-se das peripécias da infância na época do colégio na cidade de Cajazeiras.

Por

23/09/2014 às 19h03

O Interview da TV Diário do Sertão entrevistou o empresário Eduardo Jorge

O Interview da TV Diário do Sertão entrevistou nesta terça-feira (23), o empresário Eduardo Jorge. Natural de Cajazeiras e formado em Direito, ele contou da família, da profissão e da trajetória de vida. 

O empresário lembrou-se das peripécias da infância na época do colégio na cidade de Cajazeiras. 

Eduardo contou que desde a adolescência era fã de Rádio internacional. “Acima de tudo eu escrevia para essas rádios pedindo material”.

Ele revelou que sonhava ser médico, mas depois do assassinato do seu pai, que era médico optou por administrar a farmácia da família. 

Comunicação
O empresário contou que começou na Difusora de Cajazeiras ainda quando contava com o serviço de alto falante.

Eduardo Jorge revelou que ao iniciar na Rádio, os trabalhos eram muito restritos, pois os radialistas não tinham liberdade, nem o sistema de telefonia era liberado.

O advogado contou que levou importantes profissionais para Rádio Difusora, inclusive criou programas que são apresentados atualmente. 

“Nós criamos também os debates de carnaval e ganhamos muitos prêmios. Foram grandes conquistas”.

Ele revelou mágoas com a Rádio e disse: “Saí de lá por questões administrativas. Ficaram mágoas. No travesseiro a gente chora ainda”.

Veja vídeo!

DIÁRIO DO SERTÃO           

Tags:
DIÁRIO ESPORTIVO

VÍDEO: Na TV, dirigentes do Atlético de Cajazeiras explicam contratações fechadas e outras que ‘melaram’

NOVAS CRÍTICAS

VÍDEO: Para líder católico de Cajazeiras, o Nordeste será “um recanto esquecido” por Bolsonaro

CLIMA DE EMOÇÃO

VÍDEO: Amigos e familiares destacam o legado de Dr. Toinho durante velório do advogado em Cajazeiras

ECONOMIA

VÍDEO: Com fila zerada, Bolsa Família injeta quase R$ 2 milhões por mês em Cajazeiras, diz coordenador