header top bar

section content

Artista de Cajazeiras critica falta de investimentos na cultura e diz: “Ficam só nos empreguinhos”

Filho de carpinteiro e de costureira, Modesto disse que cresceu no meio do artesanato.

Por

11/09/2014 às 18h52

A TV Diário do Sertão entrevistou no Interview Modesto Maciel

A TV Diário do Sertão entrevistou no Interview desta quinta-feira (11), o artista plástico Modesto Maciel. Natural de Cajazeiras, ele falou da infância, dos pais e das brincadeiras de rua.

Filho de carpinteiro e de costureira, Modesto disse que cresceu no meio do artesanato. “Ajudava a meu pai faze móveis porque era tudo artesanal”. 
Modesto contou que não frequentou a escola nos primeiros anos escolares, pois estudava em casa.  “Estudei na escola somente no ensino médio no Colégio Diocesano”.

Cultura
Ele disse que se apaixonou pela música desde cedo, e aprendeu suas primeiras notas com o professor do ensino médio, mas enfrentou muitos preconceitos, pois sua mãe não queria que seguisse carreira musical porque era “coisa de bandido”.

“´Fiz algumas músicas e participei dos festivais do Apolo XI de Cajazeiras. Nos anos 70 a cidade respira cultura. Era muito bom”. Revelou

O artista declarou que a vivência da arte em Cajazeiras foi somente nos anos 70, pois atualmente as pessoas usam a arte como meio de comércio.

O que falta
Ele criticou que os “representantes” da cultura em Cajazeiras se acomodaram com seus “empreguinhos” e se esquecera da cultura. “Não promovem mais o artista”.

Veja vídeo!

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:

Recomendado para você pelo google

DINHEIRO NO BOLSO

VÍDEO: Show e Prêmios Alô da Sorte realiza mais um sorteio mensal da rodada extra; Saiba quem ganhou

PROFESSORES CONTRATADOS

VÍDEO: Após pressão de vereador, prefeitura de Cajazeiras confirma pagamento de salários atrasados

VIOLÊNCIA SEM PARAR

VÍDEO: Jovem é morto com vários tiros e mulher fica ferida após ser vítima de bala perdida em Cajazeiras

TRAGÉDIA

VÍDEO: Comandante da PM lamenta morte de vereador e diz que assassinos são conhecidos no crime