header top bar

section content

]Ex-comerciante de Cajazeiras revela ter sido vítima de perseguição política e diz ter pena de famílias

Antonio trabalhou distribuindo bebida e em seguida, abriu uma locadora de vídeo, negócio do qual tomou conta por cerca de 25 anos.

Por

06/08/2014 às 16h27

Antonio Gomes de Abreu foi entrevistado no Interview dessa terça-feira

O Interview dessa terça-feira (05) recebeu o ex-comerciante Antônio Gomes de Abreu, conhecido popularmente como Antônio de Hozana. Durante uma entrevista emocionada, Antônio contou a sua história de vida e da família, pela qual nutre um grande amor.

Por ser muito ligado a família, Antônio disse que fica muito triste quando vê que algumas jovens garotas estão envergonhando os membros de suas famílias, com atitudes inexplicáveis. “Não sei o que essas meninas têm na cabeça de se exporem dessa forma, fico com muita pena das famílias”, disse ele.

Outro assunto abordado com o ex-comerciante foi perseguição política. Antonio disse que já foi vítima desse mal e afirmou que até hoje, os políticos perseguem adversários, seja em época de campanha ou não. “Isso existe aqui em Cajazeiras”, disse.

Trajetória
Criado somente pela mãe, Antonio Gomes de Abreu contou que começou a trabalhar muito cedo e sua vida corrida não deu muito espaço para o estudo. Por muito tempo, colaborou com um bar que sua mãe dirigia no centro da cidade.

Antonio trabalhou distribuindo bebida e em seguida, abriu uma locadora de vídeo, negócio do qual tomou conta por cerca de 25 anos.

Veja Vídeo!

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:

Recomendado para você pelo google

MUITA HISTÓRIA

VÍDEO: Idosa da cidade de Patos completa 107 anos com lucidez e bom humor; conheça sua história de vida

ROTINA

VÍDEO: Homem é preso na cidade de Cajazeiras após furtar celulares de loja em dois dias seguidos

NÃO QUIS ESPERAR

VÍDEO: Vereador de Itaporanga rompe com deputado estadual e anuncia que será candidato a prefeito

NOVO DECRETO

VÍDEO: Exonerações, cortes e proibições na prefeitura de Cajazeiras é para garantir 13º, diz secretário