header top bar

section content

Advogado conhecido por ajudar agricultores em Cajazeiras vai lançar terceiro livro.

Doutor Toinho se graduou ainda em Artes Cênicas e depois, em Direito, área onde atua até os dias de hoje.

Por

05/08/2014 às 15h11

Doutor Antônio Pereira dos Anjos foi entrevistado nessa segunda no Interview

O Interview desta segunda-feira (04) entrevistou o professor, escritor e advogado Antônio Pereira dos Anjos, conhecido por todos como Doutor Toinho. Na ocasião, ele convidou a população de Cajazeiras e região para o evento de lançamento do seu livro “Corações Tatuados” que ocorrerá no dia 16 de agosto no Círculo Operário.

“Corações Tatuados” é o terceiro livro publicado de Doutor Toinho e foi escrito por ele e sua esposa, antes dela falecer. “São contos de amor. Era para ter sido publicado com ela em vida, mas, Deus a levou antes”, disse ele.

Solidariedade
Advogado em Cajazeiras, Doutor Toinho ficou amplamente conhecido pela sua colaboração aos agricultores da região, principalmente, no que se refere ao benefício da aposentadoria. “Meu pai sempre pediu que eu me formasse para ajudar a classe dos advogados e assim o fiz, sem me importar muito com dinheiro”, ressaltou.

Trajetória
Natural do sítio Várzea Alegre, no município de Santa Cruz, Antônio Pereira veio para Cajazeiras com 17 anos, onde ficou interno no Seminário. Optando pela profissão de professor, ele acabou desistindo de ser seminarista e se graduou em Geografia.

Doutor Toinho se graduou ainda em Artes Cênicas e depois, em Direito, área onde atua até os dias de hoje.

Veja Vídeo!
 

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:

Recomendado para você pelo google

VÍDEO

Empresário revela convite das oposições de Cajazeiras para disputar a prefeitura e derrotar Zé Aldemir

EVENTO CATÓLICO

VÍDEO: I Adora Cristo é sucesso em Cajazeiras, e coordenador da Missão Éfeso acredita em crescimento

SAÚDE BUCAL

VÍDEO: ortodontista sousense revela se é possível rejeição em casos de implantes dentários

SEGURO DE TRÂNSITO

VÍDEO: Para chefe do Detran de Cajazeiras, fim do DPVAT é retrocesso: “Se tem falhas, tem que corrigir”