header top bar

section content

Deputado Wilson Santiago não se sente responsável por perdas de emendas federais

Um dos coordenadores da bancada paraibana no Congresso Nacional para apresentação de emendas, deputado federal Wilson Santiago (PMDB), disse nesta sexta-feira, 10, que não foi responsável pela perda de prazo para apresentação de emendas ao orçamento da União, fazendo com que o estado possa perder mais de R$ 1 bilhão em verbas oriundas das emendas. […]

Por

10/07/2009 às 23h48

Um dos coordenadores da bancada paraibana no Congresso Nacional para apresentação de emendas, deputado federal Wilson Santiago (PMDB), disse nesta sexta-feira, 10, que não foi responsável pela perda de prazo para apresentação de emendas ao orçamento da União, fazendo com que o estado possa perder mais de R$ 1 bilhão em verbas oriundas das emendas. Santiago foi responsabilizado pelo deputado federal Damião Feliciano (PDT) e critica pelo senador Roberto Cavalcanti (PMDB).

“Nós não tínhamos ações suficientes para suportar a quantidade de emendas que apresentamos. Mas se tiver de responsabilizar alguém, a responsabilidade recai sobre aqueles que não estavam no Congresso no dia do prazo final, no caso o deputado Damião”, devolveu Wilson Santiago.

O deputado disse que a LDO que será divulgada amanhã, contempla todas as ações que a Paraíba tem direito ao orçamento federal. “Todas as ações da Paraíba foram aprovadas pela comissão de orçamento, e com isso a Paraíba não teve prejuízos”, declarou Santiago. O outro coordenador de bancada para apresentação de emendas, é o senador Cícero Lucena (PSDB).

Fonte: Paraíba.com

Tags:
MUITO ESTRAGO

VÍDEOS: Chuva com vendaval causa destruição de prédios em Cajazeiras e Sousa e assusta moradores

DE 22 A 27 DE JANEIRO

VÍDEO: Teatro Ica completa 34 anos em Cajazeiras com extensa e diversificada programação cultural

DE 2017 PARA ESTE ANO

VÍDEO: São José de Piranhas tem aumento alarmante de homicídios em 2018; confira balanço da PM na região

VIXE!

VÍDEO: Vidente detalha futuro da imprensa de Cajazeiras e prevê mortes: “Não chega às festas juninas”