header top bar

section content

Artesãs cajazeirense são homenageadas no 10º Salão do Artesanato da Paraíba

Desde 2000, a associação desenvolve o projeto Cerâmica do Sertão na Cidade, produzindo peças de cerâmica, que, nos fins de semana, são vendidas na Feira Livre de Cajazeiras.

Por

06/06/2009 às 22h15

Começou neste sábado(06), a 10ª edição do Salão do Artesanato da Paraíba, que desta vez tem como temática Mãos do Barro, em homenagem às loiceiras de Cajazeiras.

O trabalho desenvolvido pelos artesãos integrantes da Associação das Loiceiras do Bairro de São José, no município de Cajazeiras, no sertão paraibano, ganhou fôlego novo com a reforma das instalações da associação. A reforma foi viabilizada pelo Programa Cooperar, desenvolvido pelo Banco Mundial em parceria com o governo estadual e prefeitura municipal de Cajazeiras.

Desde 2000, a associação desenvolve o projeto Cerâmica do Sertão na Cidade, produzindo peças de cerâmica, que, nos fins de semana, são vendidas na Feira Livre de Cajazeiras. “São peças como panelas, potes e pratos que ainda hoje são utilizada pelas famílias da região. "Tem gente que vem de longe comprar", comenta a presidente da associação. "Inclusive médicos compram nossas panelas para cozinhar para eles. Dizem que as panelas de alumínio estão aumentando o câncer, e que as panelas de barro são mais saudáveis”, complementa.

Os artesãos produzem belas cerâmicas bordadas, que estão se tornando famosas. As peças foram criadas em curso de design realizado pelo Sebrae/PB. Os pratos são literalmente bordados com agulha e linhas coloridas de crochê. "Foram três meses de curso de design. Aprendemos a bordar os pratos com um designer, usando agulha média e linhas bem coloridas de crochê", conta Francisca. "Fizemos bastante cursos. Nem sei quantos", acrescenta Francisca. As peças custam entre R$ 10 e R$ 80.

“A cerâmica bordada faz muito sucesso fora da Paraíba”, diz Francisca. Ela informa orgulhosa que, recentemente, a entidade vendeu 90 pratos de cerâmica bordada para o arquiteto do programa Caldeirão do Huck da TV Globo.

O Salão do Artesanato
O evento deste ano será realizado no prédio do Auto Shop, na avenida Brasília, próximo ao Shopping Boulevard, e deverá receber 120 mil pessoas. Até o dia 28, os produtos fabricados por mais de quatro mil artesãos de 96 cidades deverão movimentar R$ 1 milhão.

A novidade deste ano será a parte de gastronomia, que oferecerá aos visitantes comidas típicas, principalmente, aquelas derivadas do milho.
Os 2,4 mil metros quadrados do Salão foram conceituados pela arquiteta Sandra Moura.

Os produtos serão divididos por tipo de material utilizado: couro, cerâmica, fibra, tecelagem, barro, metal, madeira ou fios. Em cinco anos de realização, o evento já movimentou, de acordo com dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), R$ 12 milhões em rendas diretas.

JOSELITO FEITOSA
Da Redação do Diário do Sertão

Tags:
OS CIRENEUS DO CAMINHO

VÍDEO: Programa Mensagem de Esperança reflete sobre imunização espiritual e como lidar com adversários

'MENSAGEM DE FÉ'

VÍDEO: Padre apresenta programa especial na TV sobre a tradicional Festa de Dom Bosco em Cajazeiras

'OPINIÃO DO CIDADÃO'

VÍDEO: Em Cajazeiras, presidente da OAB-PB diz ser contra posse de arma: “Índices de mortes aumentam”

PROPRIEDADES EMBARGADAS

VÍDEO: Impedidos de plantar, agricultores de Cajazeiras acusam IBAMA de excessos na aplicação de multas