header top bar

section content

Reabertura de igrejas católicas para missas presenciais em Cajazeiras divide fiéis; veja as reações

A Diocese de Cajazeiras emitiu neste sábado (20) um decreto orientando a reabertura gradual das igrejas para as celebrações de missas e outros eventos presenciais

Por Jocivan Pinheiro

21/06/2020 às 11h36 • atualizado em 21/06/2020 às 11h47

Catedral Nossa Senhora da Piedade, em Cajazeiras

A Diocese de Cajazeiras emitiu neste sábado (20) um decreto orientando a reabertura gradual das igrejas para as celebrações de missas presenciais.

No documento, o bispo Dom Francisco de Sales Alencar Batista estabelece para o próximo dia 5 a reabertura gradual das igrejas para celebrações presenciais com apenas 30% de ocupação.

De acordo com o bispo, a decisão foi tomada “em sintonia com as autoridades sanitárias e com os decretos emanados pelo Executivo, considerando as orientações da CNBB [Confederação Nacional dos Bispos do Brasil] para as celebrações comunitárias no contexto da pandemia da Covid-19, recordando a responsabilidade e a autoridade do bispo diocesano de legislar no que se refere à vida, instituições e atividades da Igreja Diocesana e atentos ao bem que deve ser feito”.

Ainda segundo o decreto, cada padre administrador poderá estabelecer uma outra data que seja mais segura para a retomada gradual das atividades presenciais em sua paróquia, desde que se observe todas as demais orientações.

Permanecem proibidas de participarem das celebrações presenciais as pessoas que apresentem sintomas ou que fazem parte do grupo de risco, a exemplo de idosos e gestantes.

O decreto ainda estabelece uso obrigatório de máscara, higienização das mãos com álcool em gel nas áreas de acesso às igrejas e distância de 2 metros entre as pessoas.

Orientações básicas da Diocese para reabertura das igrejas

UNS SE PREOCUPAM, OUTROS COMEMORAM

Nas redes sociais da Diocese, fiéis reagiram a favor e contra a decisão. Uma mulher questionou como as paróquias farão o controle da ocupação e da entrada de quem está com sintomas.

“Sem acreditar nisso… E se der mais que 30%, o que se vai fazer? Fechar as portas da Igreja? Como e quem vai proibir a entrada de quem está com sintomas? No caso, grupo de risco, os idosos, pessoas com doenças pré-existentes não poderão participar, como vai ser esse controle”, escreveu a seguidora no Facebook da Diocese.

Um homem lamentou a ausência de idosos nas missas e sugeriu realizar os eventos na parte externa das igrejas, com equipamento de som.

“Nos tempos atuais, os participantes das celebrações religiosas católicas, em sua maioria, é composta de, no mínimo, 70% de pessoas idosas. Como é que vão deixar de fora das missas esses irmãos e irmãs mais necessitados desse momento espiritual? Sinceramente será muito injusto tal proibição. Tenho 62 anos, e aí não poderei participar? Tenho uma sugestão. Botem som externo nos templos e as pessoas levam de casa, cadeira, banquinho, sombrinha, guarda-chuva etc. Só adentrará no templo no momento da comunhão. Entendo a situação, mas é muito humilhante e desrespeitoso para com os idosos”, criticou outro fiel.

Outras pessoas comemoraram o decreto: “Amém! Deus seja louvado! Amém! Melhor notícia da noite!”, escreveu uma fiel. “Assim seja, Deus abençoe!”, respondeu outra.

BAIXE AQUI O DECRETO COMPLETO

DIÁRIO DO SERTÃO

DECISÃO POLÊMICA

EXCLUSIVO: Padre excomungado pela Diocese de Cajazeiras revela por que trocou de Igreja Católica

ASSISTA

Médico revela que o único teste que detecta o novo coronavírus é o RT-PCR: “Já cansei de dizer aqui”

ÁGUA COM DONO?

VÍDEO: Gerente da Cagepa critica nova lei do saneamento de Bolsonaro e lamenta situação dos lixões

SURPREENDEU

VÍDEO: Vereador de Umari-CE pelo PT afirma que Bolsonaro mudou postura na pandemia após críticas

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!