header top bar

section content

Atendimento no Cedmex será suspenso na próxima segunda-feira

A suspensão do atendimento acontece sempre no último dia útil de cada mês

Por Luzia de Sousa

28/07/2017 às 15h01 • atualizado em 28/07/2017 às 15h04

INCA estima que haverá cerca de 600 mil casos novos

Na próxima segunda-feira (31), último dia útil deste mês, os Centros Especializados de Dispensação de Medicamentos Excepcionais (Cedmex) de todo o estado irão suspender o atendimento ao público. A suspensão do atendimento acontece sempre no último dia útil de cada mês para que seja realizado o balanço mensal no estoque de medicamentos.

O atendimento ao público volta a ser realizado normalmente na terça-feira (1º). As datas em que o atendimento é suspenso ao público são divulgadas antecipadamente para evitar transtornos para os usuários do Cedmex, especialmente para os que residem fora dos municípios onde estão localizadas as 12 sedes das Gerências Regionais de Saúde (GRS) do Estado.

De acordo com o cronograma, no mês de agosto, o balanço será realizado no dia 31; em setembro, no dia 29; em outubro, no dia 31; e em novembro, no dia 30. O balanço é realizado mensalmente pelos funcionários do Cedmex para que seja feita a verificação do estoque de medicamentos e a necessidade de novos pedidos. Em razão disso, nas datas informadas não acontecem a entrega de medicamentos nem o cadastro de novos pacientes.

O Cedmex distribui medicamentos de alto custo que são adquiridos diretamente pelo Ministério da Saúde, financiados com recursos repassados pelo Governo Federal ou pela própria Secretaria de Estado da Saúde.

Assessoria

MUITO ESTRAGO

VÍDEOS: Chuva com vendaval causa destruição de prédios em Cajazeiras e Sousa e assusta moradores

DE 22 A 27 DE JANEIRO

VÍDEO: Teatro Ica completa 34 anos em Cajazeiras com extensa e diversificada programação cultural

DE 2017 PARA ESTE ANO

VÍDEO: São José de Piranhas tem aumento alarmante de homicídios em 2018; confira balanço da PM na região

VIXE!

VÍDEO: Vidente detalha futuro da imprensa de Cajazeiras e prevê mortes: “Não chega às festas juninas”