header top bar

section content

Produtor da TV DS apresenta curta metragem gravado em CZ; filme participou de festival

Para as gravações, a equipe contou com total apoio do Sistema de Comunicação, Diário do Sertão.

Por

06/06/2014 às 16h27

"Ciclo de Sangue" foi gravado em Cajazeiras e participou de festival. Confira!

Uma equipe cajazeirense produziu um curta metragem que, recentemente, concorreu ao I Fetissauro (Festival de Audiovisual do Vale dos Dinossauros) na cidade de Sousa. O curta “Ciclo de Sangue” tem direção de Eudismar Guedes e produção de Jocerlano Lúcio. Para as gravações, a equipe contou com total apoio do Sistema de Comunicação, Diário do Sertão.

Jocerlano Lúcio que é também produtor da TV Diário do Sertão falou sobre a satisfação em ter concorrido ao I Fetissauro. “Dentre tantos outros para concorrer, ficamos gratos pela escolha”, disse.

O produtor lembrou também que, a Faculdade Santa Maria de Cajazeiras classificou o curta metragem para ser exibido em sua mostra de Psicologia.

“Ciclo de Sangue” contou com as atuações de Priscila Tavares e Jonathas Barbosa.

Confira abaixo a Sinopse do curta:
Cajazeiras-PB Gênero: Ficção; CI: 16 anos Duração: 9’ . Ano: 2014

Sinopse: Um jovem sedutor que em meio a sua vida social desfruta de seus encantos até deparar-se com uma jovem que o seduz. Sem prevenção contra DST, os dois se envolvem em relações durante uma festa. Logo depois o jovem nunca mais será o mesmo, após de receber de sua amada um laço vermelho de um bilhete que o convida para um novo mundo sem volta.

Assista ao trailer do curta metragem aqui:

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:

Recomendado para você pelo google

RELAÇÃO COM EMPRESÁRIOS

VÍDEO: Prefeito de Cajazeiras não descarta fazer uma reforma tributária e manda recado para ‘algozes’

SERVIÇO MILITAR

VÍDEO: Quase 100 novos atiradores são incorporados ao Tiro de Guerra de Cajazeiras durante solenidade

TRIMESTRE CHUVOSO

VÍDEO: Açude Grande de Cajazeiras sangra pela primeira vez em 2019 e traz esperança para a população

ELITISMO?

VÍDEO: Escolas federais têm segurança, mas as outras são ‘destratadas’, afirma diretor em Cajazeiras