header top bar

section content

VÍDEO: Abuso de poder pode tornar candidato inelegível nas eleições 2020, alerta ministro do TSE

Para ser considerado abuso de poder é necessário que ato tenha gravidade de afetar a honestidade das eleições

Por Jocivan Pinheiro

23/09/2020 às 17h57 • atualizado em 23/09/2020 às 18h09

O candidato nas eleições de 2020 que cometer abuso de poder não poderá ser votado e se tornará inelegível por oito anos, a contar da eleição em que foi verificado o ato.

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Carlos Mário Velloso, participou do painel ‘Condutas vedadas, abuso de poder e pandemia’, organizado pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), e falou sobre as penalidades prevista para o crime.

“Constitui a inelegibilidade de todos os envolvidos na prática do ilícito, a lei prevê ainda a cassação do registro ou do diploma do candidato beneficiado e prevê que os autos sejam encaminhados ao Ministério Público Eleitoral”, explicou o ministro.

VEJA TAMBÉM

Ministro explica por que políticos ficha suja foram liberados para se candidatarem neste ano

Ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Carlos Mário Velloso

Ainda conforme Velloso, para ser considerado abuso de poder é necessário que ato tenha gravidade de afetar a honestidade das eleições. De acordo com o TSE, abuso de poder é a imposição da vontade de um sobre a de outro, tendo por base o exercício do poder, sem considerar as leis vigentes.

PORTAL DIÁRIO

PROJETOS E IRONIAS

VÍDEO: Candidata promete hospital para Santa Helena, e adversário pergunta se ela usa cartão do SUS

ELEIÇÕES 2020

VÍDEO: Jornalista vê em resultado de pesquisa cenário do segundo turno nas eleições em João Pessoa

CURIOSIDADE

VÍDEO: Escritora paraibana detalha relação entre Lampião e Padre Cícero durante governo de Prestes

EM DEBATE

VÍDEO: Candidata promete hospital universitário em Santa Helena com “projeto audacioso, mas concreto”

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!