header top bar

section content

Francisco Cartaxo

Escritor, filiado União Brasileira de Escritores/PE, ex-secretário de Planejamento da Paraíba, ex-secretário-adjunto da Fazenda de Pernambuco, ex-secretário-adjunto de Planejamento do Recife, Articulista semanal do jornal Gazeta do Alto Piranhas, de Cajazeiras, Consultor associado à CEPLAN, Consultoria Econômica e Planejamento.

Email: cartaxorolim@gmail.com

| 19/06/2017 09:41

O mensalão fez bem ao Brasil?

Por que o mensalão? Fui questionado assim por um leitor: melhor seria falar do governo-tampão de Temer, da absolvição da chapa Dilma/Temer pelo TSE ou do desempenho do ministro paraibano Herman Benjamin, relator do processo. Ou, disse ele com ironia, você deveria baixar o teto e embarcar na propalada linha aérea comercial para Cajazeiras. Tema […]


| 11/06/2017 14:28

O mensalão fez bem ao Brasil?

O mensalão fez bem ao Brasil? Primeiro, me responda, que Brasil? O Brasil não é aqui definido por nenhuma dimensão geográfica ou de classe ou gênero ou segmento social ou de qualquer outro tipo. Muito menos o Brasil de partido político, mesmo o da simpatia ou aversão do leitor. Para não pairar nenhuma dúvida, esclareço: […]


| 08/06/2017 19:22

O mensalão fez bem ao Brasil?

O mensalão fez bem ao Brasil? Primeiro, me responda, que Brasil? O Brasil não é aqui definido por nenhuma dimensão geográfica ou de classe ou gênero ou segmento social ou de qualquer outro tipo. Muito menos o Brasil de partido político, mesmo o da simpatia ou aversão do leitor. Para não pairar nenhuma dúvida, esclareço: […]


| 04/06/2017 11:01

Professor Ferreira Júnior

Ele dava aula de geografia, andando de um canto a outro da sala. O Brasil tem 8 milhões e quinhentos mil quilômetros quadrados. Nosso País é um gigante de norte a sul e de leste a oeste. Assim eu aprendi, menino-quase rapaz, aluno do Ginásio Salesiano Padre Rolim. Magro, elegante, espigado, sério, impoluto, sempre de […]


| 29/05/2017 08:33

A irmã de Aécio Neves ou a maldição da bruxa

Ela não é uma irmã qualquer. É muito mais do que a irmãzinha. Andrea representa um ponto de apoio para a estabilidade emocional de Aécio Neves, o ilustre senador mineiro, herdeiro político de Tancredo Neves, como o neto preferido. Não estou a inventar. Falo assim apesar do pouco que conheço da história dos dois irmãos. […]


| 22/05/2017 08:38

Um chope com Mônica Moura

Era uma vez um senhor de cabelos grisalhos que zanzava no calçadão de Copacabana. Uma voz conhecida interrompe o surpreende. Você aqui? Sem me avisar, que é isso, disse a primo e o abraçou e beijou com carinho em jeito carioca, adquirido nos muitos anos de Rio, desde quando chegou da Bahia. A seu lado […]


| 14/05/2017 10:19

Padre Rolim e Revolução de 1817 (2)

Na abertura da 2ª edição do livro do padre Heliodoro Pires, “Padre mestre Inácio Rolim”, Sebastião Moreira Duarte assim resumiu a relação do padre Rolim com os movimentos rebeldes do começo do século XIX: “Formando-se no seleiro da agitação política onde se gestou uma dolorosa revolução e sendo contemporâneo de tantos movimentos armados no seu […]


| 07/05/2017 11:03

Padre Rolim e a Revolução de 1817

Há dois séculos houve uma tentativa de emancipar o Brasil e torná-lo uma república. Derrubou-se um governante em Pernambuco, instalou-se novo governo, espalhando-se por outros estados. O único movimento que afrontou o reino português. Durou pouco, menos de três meses. Nessa época, Inácio de Sousa Rolim tinha16 anos. Mesmo assim, vez por outra, surgem dúvidas […]


| 02/05/2017 10:52

Academia Cajazeirense de Letras

Parece um fantasma. A Academia Cajazeirense de Letras virou fantasma. E olha que ela foi “criada” com pompa, em solenidade pública, registrada no livro de ata adquirido só para ela. Exclusivo. Em julho de 1999, o presidente da Comissão Especial dos festejos do bicentenário do nascimento do padre Rolim, Edme Tavares, em carta aos conterrâneos […]


| 23/04/2017 11:10

A estratégia de Odebrecht

Esta semana a mídia inundou o Brasil de segredos do submundo político. Aqui e lá fora as vísceras da corrupção foram derramadas em páginas e páginas impressas e expostas em telas grandes e nos celulares. Não se narram fatos por ouvir dizer. Eles chegam pela palavra dos corruptores. Autores e atores. Autênticos. A gente viu […]