header top bar

section content

MEDO: Aparecimento de onça em Zona Rural da região de Cajazeiras deixa moradores apavorados

Segundo relatos, diversas pegadas, carcaças de animais e marcas em arvores deixadas pelas unhas podem ser encontradas.

Por Luzia de Sousa

01/03/2017 às 14h44 • atualizado em 01/03/2017 às 15h00

Serra do Braga, local onde há constantes aparecimento de onça (foto: Alex Gonçalves).

O suposto aparecimento de uma onça na tão conhecida Serra do Braga, município de São José de Piranhas, tem tirado o sossego de diversos moradores. O animal já foi avistado por diversas pessoas e o medo de um possível ataque a humanos já vem de muito tempo. Os moradores dizem que a onça já atacou bezerros, ovelhas e até cachorros que tentam enfrentá-la.

Segundo relatos, diversas pegadas, carcaças de animais e marcas em arvores deixadas pelas unhas podem ser encontradas, além cachorros que passam a noite ‘acoados’ no mato no rastro da suposta onça.

O felino que anda pela serra [território de grande extensão] não é uma onça pintada, animal muito perigoso, mas sim uma onça Suçuarana [onça vermelha animal que não representa grande perigo às pessoas]. “Não é primeira vez que o povo daqui avista onça, nessa serra, uma vez aqui o povo matou uma onça e comeu com cachaça,” diz um rapaz que mora no sítio Morros e pediu anonimato.

Caracterização
É o segundo maior felídeo neotropical, menor apenas que a onça-pintada. Chega a atingir 1,08 m de comprimento, mais a cauda que é longa medindo até 0, 61 m e 63 cm de altura e a pesar até 80 kg. Seu pelo é em geral bege-rosado, pode ser cinza, marrom ou cor-de-ferrugem. O comprimento do pelo varia conforme o habitat – vai de curto a muito longo.

Seu período de vida é de 20 anos em cativeiro. Entre os felinos é um dos melhores saltadores, podendo saltar para o chão, de alturas de até 15 metros, pode dar também saltos de até 6 metros de extensão isto facilita sua caça. Suas garras são muito longas.

Habitat
São variados, incluindo florestas tropicais e subtropicais, caatinga, cerrado, pantanal , desertos e montanhas.

Distribuição
Vive nas Américas, do Canadá ao extremo da América do Sul.

Hábitos
É um animal solitário, terrestre. Sua atividade é noturna. O seu território compreende áreas de 65 km2, necessita no mínimo 20 km2 para sobreviver. Os machos toleram-se e evitam-se.

Alimentação
É muito variada, pois habita territórios vastos. Desde pequenos roedores até mamíferos de grande porte (capivaras, veados, catetos, aves e répteis).

Reprodução
O período de gestão é de 84 a 98 dias, com ninhada de 1 ou 6 filhotes, nascem com 220 – 440 gramas. O filhote é pintado, depois de alguns meses a cor do pelo fica uniforme. Os filhotes permanecem com a mãe por quase dois anos.

Manifestações sonoras
Os adultos se comunicam por meio de uma espécie de silvo estridente.

DIÁRIO DO SERTÃO com o Tribuna10

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan